00:35 :: 27/04/2017
Publicidade

Há 30 anos, Globo estreava “Brega & Chique” e polêmica abertura com bumbum masculino; relembre

Duh Secco 17:00 :: 20/04/2017
Publicidade


Marília Pera e Glória Menezes como Rafaela e Rosemere em “Brega & Chique”.
Marília Pera e Glória Menezes como Rafaela e Rosemere em “Brega & Chique”

Há 30 anos, os telespectadores da Globo foram surpreendidos pelo bumbum de fora do modelo Vinícius Manne. Era a estreia de “Brega & Chique”, trama de Cassiano Gabus Mendes – ao lado de Silvio de Abreu, o grande nome da faixa na década de 80.

Manne desfilava nu na abertura da trama, que exibia diversas tendências (do brega e do chique) da moda daqueles anos. E, por fim, repercutia a mensagem já difundida na música do Ultraje a Rigor que embalava a vinheta, “Pelado”: por baixo da etiqueta, todo mundo é igual.

Telespectadores mais conservadores e a então agonizante Censura Federal chiaram; a Globo então inseriu uma folha de parreira sobre os glúteos do modelo. A polêmica catapultou a novela, que já ia muito bem; os índices de “Brega & Chique” foram superiores aos de “O Outro”.

Enquanto a novela das oito, escrita por Aguinaldo Silva, soava confusa, a das sete era claríssima. Herbert Alvaray (Jorge Dória), praticamente um acionista da Odebrecht, forjava a própria morte, deixando a esposa oficial, Rafaela (Marília Pera), na miséria e a amante, Rosemere (Glória Menezes) de bolso cheio.

Marília e Glória trabalhavam juntas pela primeira vez, ambas estreando numa novela de Cassiano Gabus Mendes. Embora nos créditos de abertura as duas tenham se alternado no posto de protagonista foi Marília quem dominou a novela – e levou todos os prêmios daquele ano.

Parte do êxito de Rafaela Alvaray se deu por conta da parceria com Montenegro, personagem de Marco Nanini. Havia tanta cumplicidade em cena que os improvisos se tornaram constantes e a direção deixou de interromper os “cacos”, preservando o ritmo hilário das cenas.

Destaque também para o analfabeto Bruno (Cássio Gabus Mendes), que levava mocinhas desavisadas para “beber água” – uma metáfora para o sexo – nos fundos de sua oficina. No elenco, Raul Cortez, Dennis Carvalho, Marcos Paulo, Cássia Kis, Patrícia Pillar, Patrícia Travassos e Neuza Amaral, falecida nesta quarta-feira (19), em sua última aparição numa novela do primeiro ao último capítulo.

Devido ao êxito, “Brega & Chique” foi reapresentada apenas 1 ano e 8 meses após seu término; não deu mais as caras na TV depois disso – eis a dica, Canal Viva. Quanto ao bumbum: a audiência mais saliente pediu e a Censura cedeu. Vinícius Manne voltou a desfilar “nu com a mão no bolso”, tornando a vinheta uma das imagens mais representativas de seu tempo.

Confira a polêmica abertura de “Brega & Chique”:


O RD1 coloca este espaço à disposição de todos que queiram opinar ou discutir sobre os assuntos que tratam nossas matérias. Partilhe suas opiniões de forma responsável e educada e respeite a opinião dos demais.

Você também pode nos ajudar a moderar comentários considerados ofensivos, difamatórios, impróprios e/ou que contenham palavras de baixo calão: para isso, basta clicar no ícone indicado para reprovação que existe ao lado de cada comentário – com 3 “negativos” esse comentário é excluído automaticamente.

Contamos com a educação e bom senso dos nossos internautas para que este espaço continue sendo um ambiente agradável e democrático.

WordPress Lightbox