10 capítulos especiais de Natal nas novelas da Globo

lacos
No Natal de 2000, o público parou para ver Helena (Vera Fischer) colocar em prática plano para salvar a filha

Festas de fim de ano, o pesadelo de qualquer emissora de TV! Neste período em que a audiência tradicionalmente foge do sofá, cada canal lança mão dos recursos que tem para tentar ao menos manter uma plateia satisfatória. Tendo as novelas como principal pilar da programação, a Globo costuma apresentar sempre capítulos especiais – ao menos em uma delas – no Natal e no Ano Novo. Para 2016, “A Lei do Amor” preparou uma “semana de violência”, também vista em “A Regra do Jogo”, ano passado. Outras tramas optaram por reencontros, revelações e nascimentos. Confira:

Tônia Carrero (Rebeca) em “Sassaricando”

O capítulo de 25 de dezembro de “Sassaricando” (1987) deixou duas das principais personagens da novela de queixo caído! Ao aceitar um convite de Aparício (Paulo Autran) para jantar, Rebeca (Tônia Carrero) descobre que seu grande amor é, na verdade, presidente da tecelagem Abdala – e não um relés faxineiro, como ele a fez pensar. Já Aldonza (Lolita Rodrigues) quase cai pra trás quando o marido Ricardo (Carlos Zara), desaparecido por anos, surge no noivado da filha Tancinha (Cláudia Raia) – que já sabia que o pai estava vivo e morando São Paulo, escondido da esposa. Rolou aquele climão quando Bel (Angelina Muniz), a irmã malvada da moça, deu toda a fita dos negócios escusos de Ricardo para Aldonza. Tadinha…

Beatriz Segall (Odete Roitman) e Nathalia Timberg (Celina) em “Vale Tudo”

No ano seguinte, a ceia esfriava na cozinha enquanto a família toda se apertava na sala para ver o triste fim de Odete Roitman (Beatriz Segall), megera-mor de “Vale Tudo”. O Jornal do Brasil definiu bem a situação de Odete naquele 24 de dezembro de 1988: “como boa perua, deixou para morrer na véspera”. Três tiros à queima-roupa silenciaram uma das mais francas personagens da teledramaturgia brasileira – principalmente em seus comentários ferinos sobre a situação política e econômica do país. Duas semanas depois, o público descobriu a autora dos disparos: Leila (Cássia Kis). Aqui, um exemplo clássico da necessidade de ampliar a plateia na noite de Natal: a cena do crime estava prevista para o capítulo anterior (sexta), mas a edição o empurrou para o primeiro bloco do capítulo 193.

Cássia Kis (Ana), Victor Fasano (Zeca) e Leonardo Vilar (Ezequiel) em “Barriga de Aluguel”

Dois anos depois, nascia o bebê da discórdia em “Barriga de Aluguel”. Ao ver o pai Ezequiel (Leonardo Vilar) tentar o suicídio, deitando-se no trilhos dos trens no alto dos arcos da Lapa, Clara (Cláudia Abreu) entra em trabalho de parto. A cesariana de alto risco a deixa impossibilitada de ser mãe, o que levou a jovem a brigar pela guarda da criança com os pais biológicos, Ana (Cássia Kis) e Zeca (Victor Fasano), que haviam alugado seu útero. Mais do que isso: Clara havia se afeiçoado à criança que gerou, enquanto Ana se ressentia por não poder experimentar as sensações do parto e da amamentação. Os conflitos se estenderam até junho de 1991: com o processo pela guarda ainda em tramitação, Clara e Ana chegam a um acordo em prol do pequeno.

Tony Ramos (Álvaro), Eduardo Caldas (Alvinho) e Vivianne Pasmanter (Débora) em “Felicidade”

Também no horário das seis, em 25 de dezembro de 1991, babado, confusão e gritaria em “Felicidade”, que marcou o retorno de Manoel Carlos à Globo. Atormentada pela desequilibrada Débora (Vivianne Pasmanter), com quem disputava o bonitão Álvaro (Tony Ramos), Helena (Maitê Proença) resolveu aplicar um corretivo na moça: a trancou no depósito da loja de artigos infantis em que trabalhava e baixou o cacete! Na sequência de “Felicidade” veio um dos capítulos mais aterrorizantes de “Vamp”, novela das sete da época. O meteoro 666 colocou em polvorosa toda a população de Armação dos Anjos, exceto, claro, os vampiros que tocavam o terror no balneário. Por sorte, a ameaça passou longe de Capitão Jonas (Reginaldo Faria) e sua prole.

Antonio Fagundes (Felipe Barreto) e Malu Mader (Márcia) em “O Dono do Mundo”

1991 foi um ano em que todo mundo deixou o peru queimando no forno! Não deu pra perder também o capítulo 189 de “O Dono do Mundo”, aquele em Felipe Barreto (Antonio Fagundes) é absolvido pelo Conselho de Medicina por ter operado clandestinamente o marginal Ladislau (Tuca Andrada). Em meio ao clima de comemoração, o cirurgião leva Márcia (Malu Mader) para a cama de novo – o vilão havia desvirginado a jovenzinha, antes do marido Walter (Tadeu Aguiar), e cometido outras ações nada católicas contra ela, o que levou Márcia a empreender uma vingança que o reduziu a pó. No dia seguinte, a professora descobre que Felipe continua tão cretino quanto antes. Pobrezinha, duas vezes iludida…

José Mayer (Carlos) e Regina Duarte (Helena) em “História de Amor”

O Natal de “História de Amor”, de 1995, foi marcado pela infelicidade geral, exceto pela protagonista Helena (Regina Duarte), que recebeu em sua casa o endocrinologista Carlos (José Mayer) – sua grande paixão, com quem trocou beijos calientes enquanto o cândido Papai Noel se espremia na chaminé. Já as preteridas de Carlos, a esposa oficial Paula (Carolina Ferraz) e a ex-esposa Sheila (Lília Cabral), entornaram o champanhe enquanto remoíam as boas lembranças que o bonitão deixou. E a noite não terminou nada feliz: Joyce (Carla Marins) caiu da escada, colocando em risco sua complicada gravidez precoce, para desespero da vovó Helena e alívio do papai sem juízo Caio (Ângelo Paes Leme).

Camila (Carolina Dieckmann) e Helena (Vera Fischer) em “Laços de Família”

Cinco anos depois, outra Helena, a de Vera Fischer, fez todo o Brasil voltar mais cedo do feriadão de Natal (25 de dezembro, em 2000, caiu num segunda). É que o país estava na expectativa para ver a quarentona de “Laços de Família” se entregar ao primo e amor de juventude Pedro (José Mayer). Tudo parte do plano traçado pela esteticista para salvar sua filha Camila (Carolina Dieckmann), acometida pela leucemia. Para cumprir seu objetivo, Helena havia se afastado de Miguel (Tony Ramos), agindo outra vez de modo altruísta em prol da herdeira – a loira já havia abandonado o namorado Edu (Reynaldo Gianecchini), deixando o caminho livre para a mimada (e chatíssima) Camila, que foi salva pela irmãzinha recém-nascida.

Giovanna Antonelli (Jade) e Murilo Benício (Lucas) em “O Clone”

A véspera e o Natal de 2001 testemunharam o reencontro de Jade (Giovanna Antonelli) e Lucas (Murilo Benício), protagonistas de “O Clone”. Os dois foram separados pelo abismo cultural e pelas armadilhas do destino – ela seguiu as tradições do islamismo e casou-se com um homem escolhido por seu tio Ali (Stenio Garcia); ele assumiu o comando dos negócios da família após a morte do irmão. Anos depois, Jade e Lucas se reencontram numa praia quase deserta; aí, tome desabafo, beijo e tudo mais… No entanto, temendo o possessivo Said (Dalton Vigh), Jade deixa Lucas a ver navios. Já o empresário, mais apaixonado do que nunca, pede o divórcio à esposa, Maysa (Daniela Escobar). Curiosamente, na novela, Glória Perez ignorou o Natal; tais sequências transcorreram numa data qualquer…

Mariana Ximenes (Ana Francisca) em “Chocolate com Pimenta”

Em “Chocolate com Pimenta”, Walcyr Carrasco lançou mal do sobrenatural para atrair a audiência em meio aos preparativos para a noite de Natal. O espírito de Ludovico (Ary Fontoura) aparecia para sua viúva, Ana Francisca (Mariana Ximenes), pedindo que ela ficasse atenta ao aviso dos céus. Por aviso dos céus, leia-se a chegada de Miguel (Caco Ciocler), desacordado, dentro de um balão que pousa em Ventura enquanto toda a população está na Missa do Galo. Foi o rapaz quem ajudou Aninha a se reerguer financeiramente – a moça havia perdido a herança de Ludovico, a fábrica de chocolates Bombom, para a cunhada Jezebel (Elizabeth Savala). Miguel era filho bastardo do falecido; e surgiu também para desestabilizar o casamento de Aninha e Danilo (Murilo Benício).

Alexandre Nero (José Alfredo), Marina Ruy Barbosa (Maria Ísis) e Lília Cabral (Maria Marta) em “Império”

Para encerrar, “Império”! Foi no capítulo de 25 de dezembro de 2014 que Cristina (Leandra Leal) descobriu que seu pai, José Alfredo (Alexandre Nero), estava vivo – quem lembra que o comendador orquestrou a própria “morte”, numa das sequências mais absurdas do enredo? Também neste capítulo, Du (Josie Pessoa) entrou em trabalho de parto. É claro que o nascimento de gêmeos não seria tranquilo; ainda mais num capítulo que exige muita emoção, para fazer jus ao clima de Natal. Em meio ao susto, Du contou com o apoio de João Lucas (Daniel Rocha), o inconsequente pai dos bebês, que começava enfim a criar juízo…

Sentiu falta de algum capítulo especial de Natal? Comente!

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

ALERTAS GRATUITOS