Luís Gustavo como Léo, em “Te Contei?” (Imagem: Nelson di Rago / Globo)

Há exatos 40 anos, a Globo exibia o último capítulo de “Te Contei?”. A novela de Cassiano Gabus Mendes para a faixa das 19h remetia ao trabalho anterior do autor, “Locomotivas” (1977) – recordista de audiência do horário na década de 1970. “Te Contei?” não alcançou o mesmo êxito. A trama, contudo, marcou a carreira de Luís Gustavo, que considera o deficiente visual Léo um de seus melhores trabalhos em televisão. Também causou polêmica com a abertura, proibida pela Censura Federal, possivelmente em razão dos closes “ginecológicos” na modelo Lenilda Leonardi. E explodiu no exterior, inspirando produções chilenas e mexicanas.

Na cena acima, Luís Gustavo contracena com Wanda Stefânia (Sabrina), estreando – já como protagonista – na Globo, após anos de Tupi; e Maria Cláudia (Shana), também titular, após papéis de destaque em clássicos como “Selva de Pedra” (1972) e “O Bem-Amado” (1973). Tatá levou o humor de “O Planeta dos Homens” (1976), onde contracenou com Agildo Ribeiro e Jô Soares, para a novela; Léo, embora deficiente visual desde a adolescência, era um típico malandro carioca, sempre acompanhado do menino Zito (Luís Carlos Niño), que lhe servia de guia. Para o personagem, Luís Gustavo buscou inspiração em um amigo de infância e no filho, Luti, então com cinco meses. O filme “Perfume de Mulher” (1974), estrelado pelo italiano Vittorio Gassman, foi recomendada pela Globo ao ator, como referência.

Foi a partir de Léo e de Sabrina que Cassiano ergueu sua trama. Ela, filha de um casal de classe média alta, empregava-se como vendedora de cosméticos, de porta em porta. Com o que recebia, alugou um quarto na pensão de Dona Lola (Eva Todor), passando a levar vida dupla: a da alta sociedade, ao lado dos pais, e com os humildes hóspedes da espanhola – este ambiente, aliás, remetia a “João Brasileiro, o Bom Baiano”, folhetim contemporâneo da Tupi, veiculado na mesma faixa; Gabus Mendes, no entanto, alegou à revista Melodias ter apresentado sua sinopse à Globo três meses antes da estreia na concorrência.

O complexo de inferioridade de Sabrina – de tão perturbada com a suposta rejeição dos pais, a ponto de desenvolver cleptomania – a fazia temer a proximidade de Léo e Shana. A filha de Lola, com mania de riqueza, parecia sempre muito mais atraente do que a amiga, que ela julgava ser pobre. Léo também entendia que a namorada não poderia jamais arcar com os custos de uma operação que lhe devolveria a visão, conforme Sabrina prometeu ao pedi-lo em casamento. O cego temia se desencantar pela moça, a quem jamais jurou amor ou fidelidade, ao recobrar o sentido. E cair, de vez, de amores por Shana – com quem vivia uma relação de gata e rato.

Wanda Stefânia como Sabrina, em “Te Contei?” (Imagem: Divulgação / Globo)

Disse-me-disse

Provisoriamente chamada “Cata-Caça”, “Te Contei?” justificava seu título através das incontáveis fofocas que acompanhavam o desenrolar do enredo. Ninguém conseguia esconder um segredo por muito tempo… Numa dessas, Sabrina logo viu sua farsa ameaçada por Wagner (Reynaldo Gonzaga) e Luciana (Susana Vieira). O primeiro, seu irmão, se encanta por Shana ao encontra-la na boutique de Helena (Ilka Soares), onde a pobretona trabalhava como gerente; Wagner, porém, namorava Mônica (Heloísa Millet), filha de Helena. Shana foge do assédio do namorado da patroa, sem sucesso. Ele se abala até a pensão, cruzando o caminho da irmã. Temerosa, Sabrina se muda para a casa da amiga Laura (Célia Biar): é o afeto desta que leva a protagonista a se reaproximar dos pais, Fred (Fernando José) e Hilda (Rosita Thomaz Lopes).

O problema é que os ricaços teimam em afastar a moça de Léo. Wagner acaba revelando as armações da irmã a Shana, que logo parte para o “te contei?”, delatando a rival para o cego. Este não se abala com a mentira, obrigando Wagner a fingir-se de amigo, solicitando a ele que confesse seu amor por Shana, diante de Mônica, apenas para “acalmar os ânimos” desta, ainda sua namorada. Léo o faz, Sabrina ouve tudo e pronto: os dois se separam novamente. Por fim, Fred e Hilda oferecem dinheiro para que o paquerador se afaste, em definitivo, de Sabrina. É quando Léo resolve que, sim, vai casar-se com a moça, para desespero de Shana.

Susana Vieira como Luciana, em “Te Contei?” (Imagem: Divulgação / Globo)

Ana Paula amava Rogério, que amava Luciana, que amava Alex…

O ricaço Rogério (Mauro Mendonça) é objeto de desejo de dez em cada dez mulheres do círculo social por onde circulam Sabrina e Helena. Especialmente de Ana Paula (Maria Della Costa), “pantera” – expressão para definir as empoderadas dos anos 1970 –, que sofre ao vê-lo noivar com a jovenzinha Luciana. Só que esta aceita o compromisso vislumbrando, única e exclusivamente, a conta bancária de Rogério; Joca (Kito Junqueira), filho do milionário, logo percebe o jogo da futura madrasta e, num misto de interesse e repulsa, decide afastá-los. É a própria Luciana, porém, quem se encarrega de colocar um ponto final na história.

Apaixonada por Alex (Dennis Carvalho), o outro irmão de Sabrina, a loira corta em pedacinhos o seu vestido de noiva, no momento em que Rogério vai apanhá-la para o casamento civil. Cabe ao “partidão” curtir a fossa nos braços de Helena. Para tristeza, claro, de Ana Paula, que, no intuito de provocar o viúvo, envolve-se com o encanador Pedro (Hélio Souto), machista que só faz regular a vida da tia Carmela (Dinorah Marzullo), da irmã Rita (Elizangela) e da pequena Maria Angélica (Gláucia de Souza), agregada da família. Evidente que o feitiço vira contra o feiticeiro, fazendo com que Ana Paula deixe o caminho livre para a amiga, subindo ao altar com Pedro.

Já Luciana, ao procurar Alex, o encontra casado com Adelita (Esther Góes). Ultrajada ao descobrir que foi a “segunda opção” do amado, Adelita investe em uma perigosa aproximação com Luciana; desta forma, ela testa Alex o tempo todo. Até que o rapaz pede o desquite, cansado da frivolidade da esposa e das obrigações com a família – ele cuida da gráfica do pai, Fred, enquanto este curte festas com Hilda. É neste momento que Adelita se descobre grávida. A gestação humaniza a vilãzinha, compadecendo Luciana, que termina longe de Alex e de Joca, com quem acabou se envolvendo, para desgosto de Rogério.

Eva Todor e Terezinha Sodré, como Lola e Alice, em “Te Contei?” (Imagem: Nelson di Rago / Globo)

O crush visualizou e não respondeu!

A novela acompanha também os envolvimentos de Edu (Osmar Prado), sócio de Pedro em uma oficina de consertos, e Rita, a quem o eletricista sempre aconselha, em imbróglios amorosos, posando de amigo desinteressado; de Alice (Terezinha Sodré), caixa de supermercado que busca um homem de posses, desprezada pelo eterno apaixonado Tuta (Ricardo Blat), quando este se consagra campeão de montaria no Jóquei Clube; e de dona Lola, seduzida pelo contrabaixista Totó (Brandão Filho), após a morte de seu marido, Deodato (Luís Puccini). Totó também encanta a cozinheira da pensão, Florinda (Ana Maria Sagres) – que fora amante de Deodato. Por fim, o músico ludibria ambas: diz a Lola que só se casa com Florinda “após cinco sextas-feiras santas”; para a outra, alega problemas cardíacos que o impedem de subir ao altar.

As intrigas amorosas de “Te Contei?” crescem com cartas anônimas enviadas às todas as mulheres do enredo. Este mistério, Cassiano Gabus Mendes guardou para os capítulos finais. Era Mônica quem escrevia as apaixonadas correspondências, sempre encaminhadas em envelopes perfumados (inclusive para ela). A moça pretendia, desta forma, aplacar o “ranço” que guardava da mãe; Helena, obcecada por juventude, flertava com os namorados da filha para sentir-se “remoçada”. A descoberta se deu quando Helena encontrou uma máquina de escrever escondida entre roupas de cama no quarto da filha.

Último capítulo

Quando Léo, enfim, se decide por Shana, Sabrina cede à corte de Jorge (Fausto Rocha Jr), irmão de Ana Paula – então namoradinho de Rita. A operação para devolver a visão ao cego acabou custeada por Magda (Laura Suarez), milionária mãe do rapaz, que o abandonou anos atrás aos cuidados de “uma tal Clarinha”; após as investigações, Magda descobriu tal ligação, mas hesitou em revelar sua identidade ao vendedor de livros, temendo sua rejeição. Léo, contudo, não recuperou a visão após a cirurgia…

Bastidores

– Em “Te Contei?”, a Globo investiu no merchandising social, voltada, claro, para os problemas que cercam os deficientes auditivos. Segundo informações da revista Contigo!, Cassiano Gabus Mendes destacou a política de inclusão promovida pela “biblioteca sonora do Rio de Janeiro”, que disponibilizava livros em fitas cassete. Bem como o Banco de Olhos de São Paulo, que estimulava a doação de córneas.

– O autor confidenciou ao pesquisador de teledramaturgia Mauro Alencar que “Te Contei?” foi a única novela escrita por ele que “não fez nem barulho”. Susana Vieira também não guarda boas recordações da trama: “Aconteceu alguma coisa muito errada. Eu não sei exatamente o que houve, mas ficou um clima pesado. Vários problemas com alguns atores, com autor, diretor… Desencontros. Não tenho uma lembrança agradável”, relatou a Elmo Francfort, autor do livro “Gabus Mendes: Grandes Mestres do Rádio e Televisão”.

– Yara Cortes deixou o elenco antes do início das gravações por motivos de saúde; a personagem, Ester, mãe de Helena e avó de Mônica, ficou a cargo de Norma Geraldy.

– A novela contou com a participação de Clodovil Hernandez, que apresentou sua coleção de inverno em um desfile no salão de festas do Copacabana Palace, Rio de Janeiro – promovido, na ficção, por Helena e Hilda. Dentre as manequins, Dalma Callado, então sucesso no exterior, e Lígia Duarte, filha de Ilka Soares (segundo a revista Contigo!).

– A abertura foi censurada semanas após a estreia. A primeira vinheta, com um grupo de telefonistas em ação, foi substituída por um passeio da modelo Lenilda Leonardi pela praia de Ipanema; planos “traseiros” de Lenilda – que ganhou as capas de revista e da trilha sonora internacional –, presentes na primeira versão da abertura, foram suprimidos.

– Destaque para o tema de abertura, “Te Contei?”, composto por Rita Lee e Roberto de Carvalho, por encomenda da emissora, e gravado por Sônia Burnier. A trilha nacional, aliás, vendeu 152.411 cópias; a Som Livre relançou a seleção em 2006, com outros 23 títulos, dentro da coletânea “Master Trilhas”. Já a internacional emplacou 623.970 cópias – a mais vendida das internacionais, dentre as tramas das 19h, na década de 1970. Os dados são do livro “Teletema”, de Guilherme Bryan e Vincent Villari.

– A reprise de “Locomotivas”, trabalho anterior do autor, coincidiu com a exibição de “Te Contei?”, às 19h. Foi, aliás, mais longa do que em sua veiculação original (168) e do que a trama inédita (151): 170 capítulos, de 17 de janeiro a 19 de setembro de 1978. Em comum, a direção de Régis Cardoso e as presenças de Célia Biar, Dennis Carvalho, Eva Todor, Hélio Souto, Lídia Iório, Mirian Pires (em uma pequena participação em “Te Contei?”) e Terezinha Sodré.

– “Te Contei?”, aliás, deixou de ser exibida em quatro ocasiões, por conta de jogos da Copa do Mundo da Argentina: 2, 6, 14 e 21 de junho.

– Já o repeteco de “Te Contei?”, na faixa “Vale a Pena Ver de Novo” – 125 capítulos, de 11 de maio a 6 de novembro de 1981 – “conflitou” com a reapresentação de “Anjo Mau” (1976) dentro do bloco “Novela”, do matutino “TV Mulher” – de março a 18 de setembro; também escrita por Cassiano, dirigida por Régis e contando com Luís Gustavo, Osmar Prado, Reynaldo Gonzaga, Rosita Thomaz Lopes e Susana Vieira. Já Ilka Soares esteve presente nas três produções.

– Neste período, aliás, Susana Vieira foi vista em três momentos diferentes: em “Anjo Mau” (como Nice), em “Te Contei?” e na inédita “Baila Comigo” – em cartaz no Canal Viva –, às 20h (como Paula). O mesmo para Osmar Prado; este, porém, marcava presença às 19h, com “O Amor é Nosso!” (como Alfredo).

– Durante a reprise, a colunista de O Globo, Hildegard Angel, publicou em 7 de setembro de 1981: “Uma curiosidade sobre Maria Cláudia: agora que ela está sendo vista na reprise de “Te Contei?” como a Shana, recomeçou, nos cabeleireiros, a febre das fãs pedindo um corte igual ao dela. O penteado de Shana foi uma criação do cabeleireiro Cinude […] Em se tratando de impacto popular, as novelas de TV são o meio mais poderoso para lançamento de moda no Brasil”.

– Foi a terceira novela – a primeira do horário das 19h – a ganhar reprise no “Vale a Pena Ver de Novo”. Na seção “carta dos leitores” do jornal O Globo, de setembro de 1981, há um comentário a respeito de sua substituição por “Selva de Pedra” (1972). O blog não encontrou outras informações acerca do assunto; “Cabocla”, exibida em 1979 às 18h, a sucedeu no “Vale a Pena”.

– “Te Contei?” rendeu uma peça de teatro, “Agora eu conto”, lançada treze dias após o término do folhetim. No elenco, Luís Gustavo, Maria Cláudia e Maria Della Costa. Também versões chilena – “¿Te Conté?” (1990) – e mexicana – “Ni Contigo… Ni Sin Ti” (2011), estrelada por Eduardo Santamarina (galã de “Rubi”, exibida por aqui pelo SBT em quatro ocasiões, entre 2005 e 2017.

_____________________________________________

Na seção “Do Fundo do Baú”, os redatores do RD1 resgatam a história da TV brasileira a partir de registros em vídeo disponibilizados no YouTube. Relembre cenas e vinhetas que entraram para a posteridade – e tudo o que as envolve.

_____________________________________________

Saiba Mais:

Por que a TV vem descartando bons profissionais, como Angélica?

Há 10 anos, Globo peitava Classificação Indicativa e reexibia “Mulheres Apaixonadas”

Acompanhe muito mais na sua Rede Social preferida:

Instagram: @RD1Oficial

Twitter:   @RD1Oficial

Facebook: @RD1Oficial  


Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!