“A Regra do Jogo” repete “Babilônia” e preocupa a Globo; novela sofre com concorrência

Alexandre Nero é Romero Rômulo em "A Regra do Jogo"
Alexandre Nero é Romero Rômulo em “A Regra do Jogo”

Reuniões de emergência, grupo de discussão adiantado, ajustes no roteiro e muita apreensão. A descrição poderia muito bem ser atribuída aos bastidores de “Babilônia”, mas estamos falando de “A Regra do Jogo”, trama de João Emanuel Carneiro considerada a salvadora da pátria global.

Treze capítulos depois, o enredo estrelado por Alexandre Nero ainda não deslanchou, o que preocupa a Globo. E não pelo excesso de problemas da obra, como acontecia com a sua antecessora. A atual novela das 21h dispõe de roteiro alucinante, direção cirúrgica e um elenco muito bem escalado.

Mas, então, qual o problema? A resposta para esse questionamento surge de forma clara e natural. “A Regra do Jogo” sofre de apenas um mal, “Os Dez Mandamentos”.

Se por décadas a Globo determinou a música que suas concorrentes deveriam dançar, agora, o plim plim saboreia do seu próprio veneno. Novela das nove que já foi das oito, a produção tem se transformado em um folhetim “das dez” para fugir da narrativa bíblica da Record.

Nesta segunda-feira (14), por exemplo, entrou no ar às 21h41, vinte e quatro minutos após o anunciado no site do canal. A audiência não correspondeu e o título anotou 27 pontos de média com pico de 29 e 39% de share. Cada ponto equivale a 67 mil domicílios na Grande São Paulo.

Empurrada para mais tarde, “A Regra do Jogo” enfrenta outro inimigo peso pesado: a diminuição do número de televisores ligados após as 22h. Ontem, por exemplo, foi exibida até 22h47.

E nessa estratégia de estica-e-puxa vale até mesmo transformar o “Jornal Nacional” em um spin-off do “Fantástico”, com reportagens frias e dicas domésticas. O expediente não tem dado certo, mas tem evitado, em escalas maiores, a liderança da rede de Edir Macedo, que beliscou a marca por 12 minutos na última sexta-feira (11) enquanto as duas histórias bateram de frente.

Desde a sua estreia, em 31 de agosto, a trama da golpista Atena (Giovanna Antonelli) acumulou 26 pontos na Grande São Paulo, tendo chegado a 21 na terça-feira da semana passada, dia de jogo da Seleção Brasileira, e a 24 nos dois primeiros sábados. O recorde permanece com o primeiro capítulo: 31 pontos. Para se ter uma ideia, “Babilônia” alcançou 27 pontos nas mesmas condições.

Giovanna Antonelli é Atena em "A Regra do Jogo"
Giovanna Antonelli é Atena em “A Regra do Jogo”

O SOOOOOOOOOOOL

Desde o último sábado (12), “A Regra do Jogo” passou a contar com o recurso de “previously in” (anteriormente em…), muito usado em séries. Na ocasião, a Globo conseguiu resumir os acontecimentos da semana em 90 segundos, como forma de chamar a atenção dos telespectadores de “Os Dez Mandamentos”, que não vai ao ar neste dia.

A programação da emissora também vem sendo inundada por chamadas mais longas e detalhadas, a fim de fisgar o público. Até mesmo o Gshow, portal de entretenimento do Grupo Globo entrou na jogada. O canal chegou a convidar os não-assinantes da Globo.com para fazer uma maratona dos primeiros capítulos de graça.

À primeira vista, não tem funcionado. Não que o folhetim não ofereça recursos para tal, pelo contrário, o controle remoto apenas entrou em cena.

João Paulo Dell SantoJoão Paulo Dell Santo
João Paulo Dell Santo consome TV e a leva a sério desde que se entende por gente. Em 2009 transformou esse prazer em ofício e o exerceu em alguns sites. No RD1, já foi colunista, editor-chefe, diretor de redação e desde 2015 voltou a chefiar a equipe. Pode ser encontrado nas redes sociais através do @jpdellsanto ou pelo email jpdellsanto@rd1.com.br.
Veja mais ›