“Amor e Morte” tem estreia prevista para abril de 2018; autor Alcides Nogueira adianta detalhes

O autor de “Amor e Morte”, Alcides Nogueira, falou com exclusividade ao RD1.

Está definido: “Amor e Morte” substituirá a trama de Elizabeth Jhin, que, por sua vez, ocupa a vaga de “Novo Mundo”, próxima novela das seis. A informação foi confirmada ao RD1 pelo autor Alcides Nogueira, responsável pelo texto que terá direção artística de Jayme Monjardim.

Alcides adiantou outros detalhes da novela, de sua autoria, baseada em um argumento de Rubem Fonseca e escrita em parceria com Bia Corrêa do Lago e colaboração de Tarcísio Lara Puiati. Trata-se de uma novela de época, desenvolvida em paralelo entre Brasil e Portugal, nos anos de 1886 e 1888.

O autor ressalta que “a história de amor e as outras tramas acontecem em meio ao movimento abolicionista que, nesse momento, está muito fortalecido no Brasil”. Figuras históricas, como José do Patrocínio, Princesa Isabel Joaquim Nabuco, André Rebouças e Machado de Assis, estarão entre as personagens. Pela primeira vez, uma novela falará a respeito do Quilombo do Leblon, de fundamental importância na proteção de escravos fugidos ou feridos.

Com estreia prevista para abril de 2018 e início de produção agendado para setembro do ano que vem, “Amor e Morte” ainda não tem elenco reservado. No momento, de certo, apenas as pesquisas que Monjardim realizou no norte de Portugal.

Em tempo: ainda na fila do horário das seis está “O Arroz de Palma”, adaptação do livro de Francisco Azevedo feita por Edmara Barbosa, pela primeira vez como titular na Globo. Uma sinopse de Maurício Gyboski, “Pátria Gigante”, também está em estudo.

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.