Ana Paula Renault comenta processo por danos morais e esclarece motivações

Matheus Henrique Menezes - 06/08/2020
COMPARTILHE
Ana Paula Renault comenta processo por danos morais e esclarece motivações (Imagem: Reprodução / Instagram)

Ana Paula Renault entrou com um processo contra Evandro Santo e Nadja Pessoa, ex-companheiros de confinamento em A Fazenda 2018, e o assunto foi amplamente discutido nas redes sociais. A protagonista dessa ação resolveu dar a sua versão dos fatos nas redes sociais.

De acordo com informações levantadas pelo Notícias da TV, Ana Paula pediu — ao todo — 200 mil reais a Nadja Pessoa e Evandro Santo por danos morais, citando, entre outras alegações, o apelido de Anabelle — personagem de um filme de terror homônimo de 2014 — que recebeu enquanto participava do reality show.

Por conta das notas que saíram na mídia, a apresentadora do Triturando, do SBT, veio a seu Instagram na noite de quarta-feira (5) para explicar que não resolveu processá-los só agora, dois anos depois, explicar a razão de tal decisão e o que teve de prejuízo.

Eu não estou movendo um processo agora, no meio de uma pandemia. A gente entrou com esse processo em agosto 2019 e A Fazenda acabou em dezembro de 2018. Tive contratos que eu perdi por causa das ofensas que me proferiram, me chamaram de homofóbica. Eu tinha trabalhos de comparecer a eventos LGBTQI, só que depois de uma ofensa e ficarem nesse ‘disse me disse’, não fui mais. Foram cortadas“, iniciou ela.

Vale lembrar que a 10ª edição de A Fazenda acabou em dezembro e Ana Paula foi a terceira eliminada da lista dos famosos. Sete meses depois do fim do programa — em agosto de 2019 a ação foi protocolada e a loira explicou porque a atitude não foi imediata: “Eu achei que se deixasse [para lá], com o tempo tudo iria melhorar, todas as ofensas iriam parar e tudo mais. Só que em julho, a Warner Bros estava lançando o filme da Anabelle aqui no Brasil e me contactou para promover esse filme. Chamei minha empresária na época e pensei de fazer dos limões uma limonada“.

Apesar de ter transformado o constrangimento em dinheiro, ainda sim a famosa ressaltou o quanto essa “renovação” acabou estendendo ainda mais a repercussão negativa, citando, inclusive, uma famosa apresentadora.

Tentaram fazer esse apelido pegar. A Sônia Abrão, que está numa televisão de concessão pública, tentava me ferir de todas as formas, inclusive só me chamava de Anabelle. Daí percebi que reverberou de uma forma que a Warner Bros tomou conhecimento desse apelido e vieram até mim e logo depois, o que aconteceu? Os dois réus vieram à tona dizer que ‘graças a um apelido criado por mim, ela está trabalhando, esse trabalho foi por minha causa, ela me deve dinheiro e tem que me pagar comissão’.”

Ana Paula Renault seguiu seu desabafo, criticando duramente Nadja e Evandro e citando o que julgou como desonra a seu pai: “Se utilizam de qualquer brechinha da mídia para falar de mim. O processo não é só por causa do apelido. Eu fui chamada de homofóbica, que eu era ‘uma rica que não fazia nada, sustentada pelo pai político’. Aí eu te pergunto: político é rico? Porque político rico é político que rouba. Ofenderam [assim] uma pessoa que não tem nada a ver com reality show“.

A ex-participante do BBB 16 revelou o que sentiu e ainda trouxe à tona o nome do cantor D’Black, ex-esposo de Nadja Pessoa: “Falaram que eu tinha que morrer, disseminaram fake news, o ex-marido da outra colocou nas redes sociais um vídeo manipulado, tanto que a Record teve que intervir e mostrar o vídeo real na íntegra. Não foi só por causa disso, teve muito mais coisas. Esses títulos não são verdade. Estava, sim, fazendo tratamento psicoterápico. Vocês acham que é fácil?“.

Seguindo sua análise, Ana Paula creditou à dupla de famosos que está processando a causa da ação só agora ter pipocado na mídia: “Desde quando eu uso alguém de escada para poder estar na mídia? Por que um processo que está aí desde 2019, foi parar na mídia só agora? Porque um dos réus, ontem, foi falar de mim, dizendo que me achava inteligente e me desejava muito sucesso… Aí do nada brota esse processo? Entendeu? Tem gente que vive de fama, mas eu sou jornalista formada. Hoje eu trabalho com isso, apresentando o Triturando. Eu me utilizo de tudo que aprendi na faculdade, no meu trabalho“.

Por fim, a apresentadora do Triturando criticou jornalistas por uma abordagem que tachou como incompleta, além de admitir seu jeito estourado: “Por que não me contataram para apurar? O processo é público, não está em segredo de justiça. Realmente eu tenho essa personalidade, eu me exalto, mas não gosto de ‘disse me disse’ e de mentiras. Talvez o problema seja seu, que talvez não seja jornalista formado e não esteja fazendo seu trabalho direito“.

Confira:

Deixe sua opinião!