Jair Bolsonaro foi alvo de críticas do apresentador John Oliver, da HBO (Imagem: Reprodução / HBO)

Candidato à presidência da República pelo PSL, disputando o segundo turno com Fernando Haddad (PT), Jair Bolsonaro tem gerado assunto não só no Brasil, como também no exterior. O apresentador britânico John Oliver falou sobre o político em seu programa semanal na HBO, “Last Week Tonight with John Oliver”, no último domingo (7) – dia em que os brasileiros foram às urnas pela primeira vez, neste pleito –, chegando a ocupar os TTs Brasil.

O motivo pelo qual quero falar sobre o Brasil hoje à noite é a enorme eleição de hoje, a primeira de dois turnos para eleger, entre outras coisas, um novo presidente. O Brasil é a casa de 200 milhões de pessoas, é o quinto maior país do mundo e está prestes a passar por uma grande mudança. Os brasileiros estão muito bravos”, disse John, antes de explicar ao público as mazelas que o país enfrenta por conta da recessão econômica e dos desdobramentos da Operação Lava-Jato, que escancarou a corrupção dominante no cenário político.

Muitos brasileiros querem uma mudança radical e isso nos leva ao homem que está à frente das pesquisas, Jair Bolsonaro. A melhor coisa que você pode dizer sobre ele é que ele não foi indiciado por uma investigação de corrupção — ainda”, ironizou Oliver. “Infelizmente, essa é a única coisa boa que eu posso dizer sobre ele, porque ele é um ser humano terrível. […] É preocupante que os jovens estejam tão empolgados porque ele é um conservador de extrema direita. Ele quer retirar o Brasil do acordo de Paris e diminuir regulações ambientais. Ele chamou os imigrantes que chegam ao Brasil de ‘escória do mundo’ e quer que seja mais fácil para os brasileiros comprarem armas”, prosseguiu.

O Bolsonaro já disse no passado: ‘Eu sou a favor da ditadura’. O que é muito preocupante, já que ele é um capitão reformado do exército em um país que até 1987 foi governado por uma ditadura militar brutal. […] É chocante ver alguém dizendo que um regime militar não matou pessoas o suficiente”, continuou John Oliver, antes da exibição de uma entrevista que o presidenciável afirma que a ditadura militar deveria ter matado 30.000 pessoas.

Por fim, o apresentador suplica, relacionando Haddad ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro: “Brasil, por favor, eu sei que vocês estão enojados pela política no momento, e vocês não são inspirados por nenhuma das alternativas, mas qualquer coisa é melhor que o Bolsonaro. O Lula Diet é melhor que o Bolsonaro”. “A questão é: o Bolsonaro não reflete o que há de melhor em vocês, Brasil. E, com alguma sorte, você ainda tem chance de votar #EleNão”.

Confira a repercussão dos comentários de John Oliver no Brasil:

Saiba Mais:

Márcio Garcia sai em defesa de Bolsonaro e cria confusão em rede social

De ex-BBBs a esportistas: os famosos vitoriosos e derrotados nas eleições 2018

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!