BOMBA: Record treinou estagiários para falar bem do Pan na internet

Esse conteúdo não pode ser exibido em seu navegador.

A TV Record tentou montar, há duas semanas, uma espécie de patrulha de estagiários em jornalismo para falar bem do Pan-Americano de Guadalajara na internet. Os intermináveis elogios seriam publicados em redes sociais com o objetivo de suprimir as críticas de jornalistas e sites sobre a transmissão do evento.

A denúncia é feita pelo jornalista Ricardo Feltrin da coluna “Ooops!”, publicada no F5 e no UOL. De acordo com a publicação, a “operação” foi abortada após funcionários da emissora acharem que a estratégia teria vazado. Como de fato vazou. Outro ponto que levou a Record a voltar atrás foi o crescimento de seus índices durante o Pan. Como se sabe, o canal teve ganho de audiência no PNT (Painel Nacional de Televisão) e na Grande São Paulo.

Durante o treinamento, ainda segundo Ricardo Feltrin, os estagiários, que inicialmente seriam treinados para responder aos “ataques” de forma respeitosa e sem dar qualquer bandeira, foram orientados a monitorar colunistas, blogueiros e sites que poderiam “prejudicar” a imagem da emissora perante o mercado publicitário.

E não parou por aí. Esses mesmos estagiários foram informados que deveriam criar perfis falsos no Facebook, Twitter, Orkut, além de e-mails. Os futuros jornalistas, surpreendidos com a ordem a ser acatada, mostraram-se indignados em uma troca de emails.

A estratégia de montar patrulhas na internet já é usada hoje por empresas, marcas, produtos específicos e até pelo governo federal com fins políticos. A tática, que não é proibida, acaba distorcendo o resultado de uma opinião pública dita real, causando a impressão  de que existe uma situação naturalmente favorável à ela.

O canal, em nota ao F5, disse o seguinte: “A Record informa que mantém junto ao seu Departamento de Internet um grupo de trabalho responsável por fortalecer e divulgar a marca da emissora e de seus produtos nas mídias sociais – prática legítima e comum executada por grandes corporações em todo mundo. A Record, obviamente, não endossa ações anti-éticas e vai apurar internamente se houve algum tipo de desvio de conduta.”

João Paulo Dell SantoJoão Paulo Dell Santo
João Paulo Dell Santo consome TV e a leva a sério desde que se entende por gente. Em 2009 transformou esse prazer em ofício e o exerceu em alguns sites. No RD1, já foi colunista, editor-chefe, diretor de redação e desde 2015 voltou a chefiar a equipe. Pode ser encontrado nas redes sociais através do @jpdellsanto ou pelo email jpdellsanto@rd1.com.br.
Veja mais ›