Tessa Thompson e Chris Hemsworth em MIB: Homens de Preto Internacional. (Sony)

O clássico MIB de 1997 dirigido por Barry Sonnenfeld tinha Will Smith como um esforçado policial de Nova Iorque recrutado por Tommy Lee Jones para fazer parte de uma divisão secreta de controle e investigação de alienígenas. Agora, em MIB: Homens de Preto Internacional, a personagem de Tessa Thompson não espera ser escolhida: após hackear o sistema da NASA e seguir um objeto não identificado que acaba de cair na terra, a jovem encontra o talvez não tão bem escondido assim, QG dos Homens de Preto.

Após ser considerada apta pela Agente O (Emma Thompson) e batizada de Agente M, a jovem é enviada a Londres para o seu primeiro caso, ainda como “estagiária”. É lá que conhece o Agente H, Chris Hemsworth, famoso pela resolução de um caso particularmente difícil ao lado do seu antigo companheiro o Agente T, interpretado por Liam Neeson. Agora conhecido como High T, o ex-oficial comanda a divisão na terra da rainha. Logo na chegada, M dá de cara com uma figura mais do que conhecida pelo público brasileiro. Como parte de uma ação promocional da Sony, o comediante Sérgio Mallandro foi convidado para fazer uma breve participação, e aparece em um telão, sendo monitorado, na pele de um alienígena disfarçado.

Na nova aventura, que é considerada um spin-off, os agentes M e H terão que investigar um possível traidor infiltrado, suspeita que surge quando um importante representante de outro planeta é morto em visita “extra oficial”, deixando um importante legado nas mãos de M. A franquia, baseada na graphic novel criada por Lowell Cunningham, já não tem o mesmo charme de outrora, sofrendo da fadiga que é tão comum às produções atuais. Tessa e Hemsworth ainda não estão no nível de Lee Jones e Smith, mas a química presente desde “Thor: Ragnarok” é visível e faz do filme uma experiência agradável, ajudada e muito por Kumail Nanjiani – que nunca decepciona quando o assunto é comédia – como a voz do pequeno Pawny. Várias das suas tiradas arrancam risadas genuínas do público.

Inclusão

Rebecca Ferguson faz parte do elenco, e o internacional fica por conta, além de Londres, também de Paris e Marraquexe, onde a ação tem lugar. Mesmo com armas maiores, mais brilhantes e tecnologia ainda mais avançada, o longa com direção de F. Gary Gray (Velozes e Furiosos 8), roteiro de Matt Holloway e Art Marcum e que tem ainda Steven Spielberg como um dos produtores executivos, não traz nada de extremamente novo ou excitante à franquia, a não ser o elemento feminista trazido por M e a alusão de um approach mais inclusivo para a divisão. Talvez o próximo filme já venha com o título “Homens e Mulheres de Preto”. De qualquer forma, “MIB Internacional” é garantia de diversão “pipoca” para toda a família, o que já o coloca à frente de vários títulos recentes. O filme chega aos cinemas em 13 de junho.

Recomendados para Você:

Comments

comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here