10:58 :: 21/08/2017
Publicidade

“Ex-novela das onze” e “ex-minissérie”, “Jogo da Memória”, de Licia Manzo, vira projeto de portfólio

Adriana Esteves, cotada para o posto de protagonista de “Jogo da Memória”.
Adriana Esteves, cotada para o posto de protagonista de “Jogo da Memória”

O assunto “Jogo da Memória”, que parecia encerrado, voltou à tona. Segundo a jornalista Patrícia Kogut, a trama de Licia Manzo, inicialmente apresentada como novela das 23h e depois convertida em minissérie, segue em desenvolvimento a pedido da Globo, que irá colocar a obra em seu portfólio e produzi-la na época e na plataforma oportunas.

Era novembro de 2016 quando o canal anunciou a “reforma” da sinopse, então prevista para a faixa das 23h. Com o diretor José Luiz Villamarim em tratamento de saúde e um erro de avaliação da sinopse – sem a história suficiente para 88 capítulos e com personagens rendendo menos do que o esperado, o que gerou a dispensa de Débora Bloch –, “Jogo da Memória” foi adiada e readequada como minissérie.

No mês seguinte, parte do elenco escalada foi remanejada para “Os Dias Eram Assim”; Villamarim deixou a direção artística, assumida por Luiz Henrique Rios, hoje à frente de “Pega Pega”. Então prevista para julho de 2018, a produção foi interrompida de vez em maio deste ano. E os nomes que seguiam reservados foram liberados – Adriana Esteves, Alexandre Nero, Irandhir Santos e Jesuíta Barbosa, entre outros.

A Globo tem optado por “estocar” textos e produções. “A Tradicional Família Brasileira” (de Cláudia Tajes e Leandro Soares) e “Morto Não Fala” (de Cláudia Jovin e Dennison Ramalho), por exemplo, estão em desenvolvimento há tempos, mas só agora devem entrar na fila de produção. Séries já prontas como “Brasil a Bordo”, “Carcereiros” e “Filhos da Pátria”, gravadas com bastante antecedência, também custam a estrear.




Publicidade
WordPress Lightbox