Fátima Bernardes e o fim de uma era

Era tarde da noite da última quarta-feira (30) quando a Folha de S. Paulo pegou a todos de surpresa com uma notícia até aqui inacreditável: Fátima Bernardes deixará o “Jornal Nacional”.

Muitas versões, várias opiniões e nem de longe a imprensa conseguiu chegar perto do alvo. Fátima não está cansada, muito menos se separando de William Bonner, ela está em busca de concretizar um grande sonho: ter um programa diário.

De supetão, a Globo organizou uma coletiva de imprensa para esta quinta (1º). Anunciou o que os fãs do “casal nacional” jamais esperariam ouvir um dia: Fátima Bernardes deixa o “JN” para se dedicar a projetos solos e será substituída no noticiário por Patrícia Poeta, que, por sua vez, cede a apresentação do “Fantástico” a Renata Ceribelli.

A despedida acontece na segunda (05). Poeta assume em definitivo a bancada na terça (06). É o fim de uma era. A separação do “casal 20” do jornalismo brasileiro. Ela, a ternura em pessoa. Um das poucas profissionais da área que dá a notícia como se estivesse olhando nos nossos olhos, cheia de simpatia. Ele, um gentleman, um galã de gravata com sua voz invejável, o tiozinho do Twitter.

Não está em pauta a competência de Patrícia Poeta, apesar de faltar a ela a doçura que transborda da “musa da Copa de 2002”. Está, sim, o vácuo que o “JN” terá daqui pra frente sem a presença de Ótima Bernardes, como diria a turma do “Casseta e Planeta”.

Uma profissional que se colocou apenas como mero instrumento da notícia, e não como a notícia, assim como tantos outros adoram fazer. Datas marcantes, acontecimentos importantes, Copas, Olimpíadas, tragédias, lá estava a mãe dos trigêmeos Vinícius, Laura e Beatriz. Tantas histórias. 13 anos de “JN”. Quase 3500 “Boa Noite”.

Seria triste se esta competente profissional estivesse infeliz ou fazendo algo que não gostasse. Mas não, ela optou por mais esse desafio em sua carreira. Aos 49 anos. São poucos os que podem pedir pra sair do telejornal de maior audiência do país.

Que venha a nova atração da Fátima. Que seja diária ou semanal. Matutina ou vespertina. Estaremos esperando. Até lá, ficaremos na torcida e mandando boas vibrações.

O nosso muito obrigado. E o nosso eterno BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE, Fátima Bernardes.

João Paulo Dell SantoJoão Paulo Dell Santo
João Paulo Dell Santo consome TV e a leva a sério desde que se entende por gente. Em 2009 transformou esse prazer em ofício e o exerceu em alguns sites. No RD1, já foi colunista, editor-chefe, diretor de redação e desde 2015 voltou a chefiar a equipe. Pode ser encontrado nas redes sociais através do @jpdellsanto ou pelo email jpdellsanto@rd1.com.br.
Veja mais ›