Federação impede jogo e times e torcidas se voltam contra a Globo

Equipes não assinaram acordo de transmissão da Globo e decidiram exibir a disputa de forma independente e exclusivamente online
Times não assinaram acordo de transmissão com a Globo e decidiram exibir a disputa de forma independente e pela internet 

Os jogadores do Atlético-PR e do Coritiba cruzaram os braços no clássico marcado para as 17h deste domingo (19). O início da partida foi impedido pela Federação Paranaense de Futebol (FPF).

A decisão aconteceu após a FPF alegar problemas de credenciamento nos envolvidos com a transmissão do jogo. Cabe lembrar que as equipes decidiram exibir a disputa de forma independente e exclusivamente online pelos canais dos clubes no YouTube.

Com a perda do direito de exibir na internet o jogo, os times se negaram a jogar e a partida não aconteceu. De mãos dadas, os jogadores entraram em campo para se despedir da torcida e voltaram ao vestiário logo depois. Na Arena da Baixada, o público presente gritou “vergonha” e protestou contra a FPF e a Globo.

Em seu Twitter oficial, o Coritiba falou sobre o impasse. “Funcionários da Federação Paranaense de Futebol solicitam que a arbitragem não permita início do jogo. Motivo: a FPF não permite transmissão do jogo pelos canais de Coritiba e Atlético. A federação pede que o jogo não comece enquanto houver a transmissão online”.

O diretor de marketing do Atlético-PR, Mauro Holzmann, se voltou contra a decisão e disse que o clássico não aconteceria sem a transmissão pela internet. “Atlético-PR e Coritiba não venderam seus direitos [para a TV] por causa dessa merreca que a RPC e a Globo nos ofereceram. E a Federação Paranaense de Futebol não quer dar continuidade à partida enquanto a imprensa estiver aqui. Temos uma produtora independente aqui. Não temos que acabar com a transmissão”, afirmou ele ao canal do Atlético no YouTube.

Em nota, os times declararam que não venderam os direitos de transmissão de seus jogos à TV “por não concordarem com os valores oferecidos”, e lamentaram “o prejuízo causado ao futebol paranaense, em especial aos seus torcedores”.

A federação paranaense revelou que não haveria jogo enquanto os profissionais não credenciados não saíssem de dentro de campo. A FPF afirmou que o credenciamento deveria ter sido feito até 48 horas antes da partida, o que não teria acontecido. Já a Globo alegou que não possuía os direitos de transmissão do clássico, e portanto não pôde exibi-lo.

Da Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.
Veja mais ›