Gugu Liberato voltou pra Record
Gugu Liberato voltou para a Record

A volta de Gugu Liberato à Record, confirmada (finalmente!) pela emissora nesta terça-feira (01), é um daqueles episódios para jamais esquecermos.

O apresentador assinou divórcio com o canal de Edir Macedo há doze meses, após união que prometera oito anos de pura fidelidade. Gugu deu meia-volta, fez biquinho e rompeu contrato com a emissora deflagrando uma série de queixas de ambas as partes.

Um ano depois, Liberato retorna à Record, não como contratado, mas como sócio – favor frisar – e pelas mãos de Homero Salles, ex e provável futuro diretor.

Dada as últimas notícias, é possível acreditar que Gugu foi no papo da Record por pura falta de opção. O SBT de Silvio Santos bem que o queria de volta (e era recíproco), mas Daniela Beyruti, a filha-toda-poderosa de SS levou o pé à porta e impediu o recasamento.

A Band também acenou para o homem do pintinho amarelinho, mas a falta de interesse, desta vez demonstrada por Gugu, levou o canal do Morumbi a xavecar Luiz Bacci, o menino de ouro e muitas histórias.

Gugu volta à Record por pura falta de opção. A Record acerta com Gugu num momento que nem Jesus salva – clique aqui e entenda. É uma reconciliação marcada por feridas e lembranças. Queira o bom senso permanecer de pé até o fim do primeiro projeto, um reality para as noites de terça e quinta-feira.

A VICE É MINHA

Se por um lado assessoria do SBT anuncia que “bateu a nova novela da concorrência” nesta segunda-feira (30), a da Record torna público que “Vitória” consolidou o segundo lugar absoluto. É cada vez mais difícil recorrer a dados dos departamentos de comunicação dos canais.

NO FLOW 

A Globo meio que entregou os pontos. “Geração Brasil” não pega nem no tranco. Nesta segunda, o folhetim de Filipe Miguez e Izabel de Oliveira marcou 20 pontos, derrubando a audiência herdada do “SPTV 2ª Edição” – 21. Para quem sonhava com um futuro mais sossegado além do horizonte (da série “Trocadilhos Infames”), quebrou a cara. “Geração” não é “Cheias de Charme”, tampouco high-tech como a emissora tenta transparecer.

PURA ELEGÂNCIA! 

Sandra Annenberg roubou a cena no último sábado (28) durante cobertura que antecedeu o Brasil x Chile. A apresentadora do “Jornal Hoje” até ensaiou uns passinhos de forró com o colega Alex Escobar no ar. Pura simpatia. Formada em jornalismo e com carreira fincada nas artes cênicas, Sandra é muito maior que o “Hoje”. Um projeto solo, na área artística, cairia como uma luva. Vai vendo.

COMO ASSIM?

De quem foi a ideia de promover Alex Escobar a narrador? O apresentador do “Globo Esporte Rio”, ora empolgado, ora robótico, é um ponto negativo desta Copa. Errou feio a Globo na escolha. E de pensar que “Seo” Silvio Luiz está fora deste que seria o seu décimo Mundial.

GALVÃO DO BEM

Segue impressionante e de merecidos elogios a postura comedida de Galvão Bueno nesta Copa. No Twitter, a turma do bem (a gente adora!) brinca com o locutor, afirmando que ele levou a sério a campanha do “Cala Boca, Galvão”. Aliás, a voz das transmissões esportivas da Globo vem desabando a cada jogo do Brasil. No sábado, chorou como poucos.

MAIS COPA, POR FAVOR

Muito bom o “Extra Ordinários”, do SporTV, e a cobertura humorística do Fox Sports 2, capitaneada pelo sempre certeiro Paulo Bonfá. Valem a pena.

NO ESCURINHO DO ARMÁRIO

Um famoso apresentador, que tem fama de pegador e mulherengo (eita!) tem tocado o terror nos bastidores da emissora em que trabalha. Ele não deixa passar uma. Ou melhor, um. Ui!

HILÁRIO ELEITORAL 

A partir desta terça-feira, está proibido nas emissoras de rádio e TV qualquer comentário ou gesto que indique conotação política ou direcionamento para este ou aquele candidato. Ao fim do mês, os nobres políticos entram em cena, tomando conta dos veículos por conta da Propaganda Eleitoral OBRIGATÓRIA.

NA MIRA DO MJ

O Ministério da Justiça, que regulamenta a Classificação Indicativa, resolveu alertar a Globo para o tom adotado em “Meu Pedacinho de Chão”. Vejam só, o órgão está atento ao “consumo de drogas ilícitas” na fábula de Benedito Ruy Barbosa. É pra rir. Aliás, o MJ reclassificou “Abraça-me Muito Forte”, da Televisa e exibida no SBT, como imprópria para menores de 12 anos (20h). Alguém avisa que a trama já saiu do ar?

BEIJA EU, BEIJA EU…

O primeiro “beijo lésbico” da dramaturgia da Globo rendeu 31 pontos à “Em Família”. O “selinho demorado” (aquilo não pode ser caraterizado como um beijo) entre Giovana Antonelli e Tainá Müller dividiu os telespectadores da trama, que esperavam um “desentupidor de pias” daqueles. A repercussão foi baixíssima, diferente do beijo entre Mateus Solano e Thiago Fragoso em “Amor à Vida”.

CALAAAADO

É tanta coisa pra comentar que não cabe numa só coluna. O resto eu conto outro dia. Ou não.

VAPOR BARATO

(Composição: Jards Macalé / Waly Salomão)

[…]

Oh, sim, eu estou tão cansado
Mas não pra dizer
Que eu tô indo embora
Talvez eu volte
Um dia eu volto
Mas eu quero esquecê-la, eu preciso
Oh, minha grande
Ah, minha pequena
Oh, minha grande obsessão

[…]

 

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Esta opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!