Leonardo Vieira procura a polícia para denunciar ataques homofóbicos

Foto: Reprodução/GloboNews
Leonardo Vieira foi até à polícia prestar queixa contra comentários preconceituosos

Leonardo Vieira vai a fundo descobrir quem são os desocupados que andam enchendo as redes sociais dele com comentários homofóbicos. Após prestar depoimento na Comissão de Direitos Humanos do Rio de Janeiro, o galã foi até a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática nesta segunda-feira (9).

O ator chegou ao local por volta das 16h, acompanhado de mais duas pessoas. “Estou fazendo isso porque a Polícia tem instrumentos legais para identificar essas pessoas e agora o que eu quero é poder identificar os autores dessas ofensas”, disse em entrevista coletiva ao sair do local.

Após a conclusão das investigações, Leo vai decidir se processa ou não os autores dos ataques. A partir de agora, ele vai batalhar pela criminalização da homofobia: “Quero que passe a ser crime. Tem pessoas que morrem por isso. Estou dando voz às pessoas que não podem ser ouvidas”.

Mais cedo, Leonardo Vieira divulgou uma carta aberta onde se posiciona sobre o caso. “Se sou gay, isso não vai mudar em nada a vida de ninguém ou a de quem estiver lendo isso, mas meu caso talvez possa ajudar pessoas que sofrem com a discriminação sexual ou com qualquer outra forma de discriminação e preconceito”, escreveu.

CONTINUE LENDO →

Henrique Brinco é baiano, formado em Comunicação Social pela Unijorge, de Salvador. Atua no jornalismo desde 2008, passando pelas editorias de política, cidades, cultura e entretenimento em diversos portais de notícias, locais e nacionais. Foi por cerca de dois anos editor-chefe do site Varela Notícias, de Raimundo Varela, apresentador da Record Itapoan. Já foi colunista do RD1 anteriormente, por seis anos. Atualmente é repórter de política do jornal Tribuna da Bahia e do site BNews.