Marcelo Serrado compara trama de “Pega Pega” com momento político brasileiro

Marcelo Serrado interpreta Malagueta em “Pega Pega”, um dos mentores de um grande roubo

No ar como um golpista em “Pega Pega”, da Globo, Marcelo Serrado comparou a história da novela com o momento atual da política brasileira. Ao “F5”, o ator afirmou que a trama é um prato cheio para que o público discuta sobre ética.

“Vale a pena roubar? Já estão roubando ali, Será que não posso roubar aqui? Isso é o que a gente vive, né? E vamos falar sobre esses pensamentos na novela”, contou Serrado. “O que acontece no Brasil é uma coisa cultural e cabe a nós como cidadãos, por exemplo, não subornar o guarda, não jogar papel no chão. São pequenas atitudes. Vamos abordar isso de forma divertida”, acrescentou.

Cabe lembrar que o folhetim teria “Pega Ladrão” como título, mas sofreu modificação para não confundir os telespectadores com a atual situação do país.

Como é sabido, no enredo, o personagem de Marcelo é um concierge e mentor do roubo ao Carioca Palace Hotel. Os ladrões decidem cometer o crime por diferentes razões pessoais. “É como falo: não dá pra defender ninguém. Eu não tenho bandido de estimação”, disse o ator, garantindo que não há justificativa.

A propósito, o global vai estrelar, ainda este ano, o filme “Polícia Federal – A Lei é Para Todos” sobre a Operação Lava Jato. Na produção, que está prevista para estrear no dia 7 de setembro, ele será o juiz Sergio Moro.

CONTINUE LENDO →

Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna “Do Fundo do Baú”, publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email luizfabio@rd1audiencia.com