Marcos Mion abre o coração e faz análise no comando de “A Fazenda”

COMPARTILHE
Marcos Mion contou que está em seu melhor momento profissional (Imagem: Divulgação / Record)

Às vésperas da estreia de “A Fazenda 2019”, a Record reuniu parte da imprensa na sede do programa, localizado no interior de São Paulo. Além do apresentador Marcos Mion, estavam no local os diretores do programa, Fernando Viudez e Rodrigo Carelli.

Questionado pelo RD1 sobre qual análise faz de sua carreira profissional no comando do reality show, Mion abriu o coração sobre cono chegou até este momento.

“Eu sinto que, após o fim do ‘Legendários’, que a gente decidiu terminar o programa, eu tinha uma vontadezinha, embora distante, que talvez ‘A Fazenda’ ficassem na minha mão. Quando eu vi as coisas se desenrolando para acontecerem, eu me sinto genuinamente muito abençoado, pois se eu pudesse escolher, eu escolheria ‘A Fazenda’. Não foi eu que escolhi, foi a direção da Record que escolheu e eu me sinto muito lisonjeado”, disse.

“Por isso que quando eu venho, eu venho com tudo. Não tem limite de horário, de tempo, de dedicação. Eu sou muito feliz aqui neste programa e me sinto muito abençoado por isso. O sucesso foi maravilhoso, óbvio. Ganhamos tantos prêmios. Quem sabe da minha história, sabe que eu me preparei bastante como apresentador”, contou Mion, que foi complementado pelo diretor Rodrigo Carelli: “Até, porque, quando a gente começou, ele percebeu que não estava tão bem preparado assim”.

“Essa história que o Carelli falou é a reação das pessoas nas redes sociais. Eu sempre fui atuante nas redes sociais e quando cheguei aqui, achei que já sabia de tudo. Não tem nada que possa acontecer em uma rede social que eu não esteja preparado. Eu sei me virar… Aí o Carelli falou pra eu ter calma porque eu nunca tinha feito ‘A Fazenda’. Eu pensei o que poderia ter de diferente assim. É, simplesmente, uma insanidade. Os números, não é que triplicam, mas multiplicam em pessoas seguindo, comentando e falando”, disparou o apresentador.

“É hardcore, pois o programa é de torcida e divide opiniões. Nunca há uma unanimidade. A gente sabe que as pessoas têm vontade de ver tal pessoa ganhar ou de que tal coisa foi armada. Nada é armado porque não tem como armar”, contou Mion.

Sobre a maior saia justa que passou no programa, o apresentador revelou que foi a pane que aconteceu quando a conexão entre a sede do programa, o switcher e ele falhou. “Sem dúvida foi esse dia da pane. Foi o momento que eu me senti mais vivo, com certeza. São nessas horas que eu me sinto vivo. É nessa hora que você separa os homens dos profissionais, usando essa frase. É a hora que eu realmente posso mostrar o que eu sei fazer e posso fazer”

, garantiu.

O comandante do reality show ainda relembrou alguns casos que também foram diferenciados no ao vivo. “Lógico que todos lembram da eliminação da Ana Paula [Renault]. Foi um momento maravilhoso que ela começou a brigar comigo lá, ao vivo, rogando praga que a audiência ia cair e não sei o que”, divertiu-se Mion.

“Eu amo esses momentos, pois são quando eu me sinto no palco do meu programa ao vivo. No palco do teatro é a hora que eu mais gosto e mais me sinto bem”, finalizou.

Sobre o confinamento, Viudez disse que os participantes são desconectados do mundo real no final de semana antecedente à estreia do programa. “Eles são confinados antes do programa por questão de coisas a serem feitas como roupas etc“, explicou.

Um departamento de criação de provas

Em relação às provas, o diretor contou que há vários departamentos que são responsáveis para tal função dentro de “A Fazenda”. “Existe um departamento que só cuida de provas ao lado de um departamento de criação e comigo que sentamos e começamos a pensar. As provas surgem do nada. Elas surgem de uma brincadeira de criança e que a gente tem que transformar para o tamanho do campo de provas“, começou.

Fernando seguiu explicando os critérios usados para que as provas sejam levadas para o campo de provas. “Primeiro temos que estabelecer qual tipo de prova proporemos: se é física, raciocínio, inteligência, se vai misturar as duas coisas, se tem sorte ou não. Esse é um momento que a gente desgasta muito esta prova porque é um momento que a gente está muito exposto. É um momento que estamos propondo uma prova para as pessoas que estão aqui dentro e não podemos abrir margem para discussão

“, elencou.

A gente procura fazer provas sempre diretas em relação ao julgamento e, por mais que nesse caminho todo, a gente cresça e faça acontecer dentro do campo de provas, é o nosso desafio, pois temos umas ideias malucas nas reuniões e precisamos estudar tudo. Além disso, buscamos muitas referências. Nós misturamos muitas coisas e é um processo muito longo até chegarmos no resultado que vai pro ar“, finalizou Viudez.

CONTINUE LENDO →

Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), é apaixonado por televisão e acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas em vídeos com os artistas para o RD1. Além disso, produz conteúdo multimídia com as principais informações dos famosos para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!

ALERTAS GRATUITOS
Deixe sua opinião!