Mario Frias choca ao insinuar que Paulo Gustavo não morreu de Covid-19

Mario Frias voltou a falar sobre a morte de Paulo Gustavo (Imagem: Reprodução / TV Brasil)

Mario Frias voltou a causar polêmica ao falar da morte de Paulo Gustavo (1978-2021). Desta vez, o secretário da Cultura insinuou que o humorista não morreu vítima da Covid-19. A declaração foi dada numa live no YouTube, realizada na noite desta segunda-feira (14).

Na conversa, o famoso declarou que telefonou para uma amiga do comediante quando ele ainda estava internado na UTI, no ano passado. Segundo ele, a mulher, que não teve o seu novo revelado, teria dito ao secretário que o problema dele não era Covid havia muito tempo.

O secretário da Cultura também ressaltou que o presidente Jair Bolsonaro (PL) teria entrado em contato com a família do ator e se posto à disposição para ajudar.

A transmissão contou com o deputado federal Eduardo Bolsonaro e André Porciuncula, encarregado da Rouanet. O trio debateu o projeto da chamada Lei Paulo Gustavo, que libera cerca de R$ 3,8 bilhões para a área cultural, como forma de amenizar a paralisação de setor causada pela pandemia.

Mario Frias detona Lei Paulo Gustavo

Em entrevista ao vivo para o Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, o ex-ator disse que o recurso deixará de ser administrado pelo governo federal e passará a ser conduzido por Estados e municípios e que isso deverá fazer com que a corrupção aumente no segmento.

“Se a gente recebe os problemas de corrupção na Lei Rouanet, administrada pelo governo federal, você pode imaginar o que vai ser quando o governo federal se tornar um caixa eletrônico compulsório. A gente vai pegar o fundo nacional de cultura e o fundo setorial do audiovisual e vai entregar para governadores decidirem o que fazer com esses recursos. Vai ser o Covidão da Cultura“, disse Mario Frias.

O secretário do Governo Bolsonaro ainda afirmou que, caso a lei Paulo Gustavo seja aprovada, o cinema brasileiro será duramente prejudicado:

“A Ancine hoje não deve mais. Acabamos de injetar R$ 650 milhões no mercado de editais. Dinheiro que vem do fundo setorial do audiovisual. Então, se você tirar ele para fazer a lei Paulo Gustavo, você vai acabar com o mercado de cinema, por exemplo”.

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email luizfabio@rd1.com.br