Na Band, “Pânico” renasce das cinzas e evidencia talento de Carioca

Carioca caracterizado de Boris Casoy - Reprodução / Band

Fim da espera. O “Pânico” estreou neste domingo (1º) na Band após quase dois meses fora do ar. Mais que isso, era o retorno ao vivo dos humoristas, que entraram em férias em dezembro do ano passado.

De cara, sem pestanejar, é possível dizer que as expectativas foram atingidas. O “Pânico na Band” lembra os áureos tempos da atração ainda na RedeTV. Os primeiros anos, marcados pelas sátiras, campanhas geniais e tiradas sensacionais. É uma volta às origens na maior categoria. E o público, saudosista, agradece.

O programa, apesar de alguns pontos que precisam ser revistos, como o sem graça do Homem Pássaro, voltou renovado. É louvável a maneira que o diretor Alan Rapp conseguiu imprimir esse novo ritmo e roupagem. O “Pânico” mudou, e para melhor, mas não perdeu a sua essência, que andava um pouco questionável nos últimos três anos. A troca de canal trouxe de volta o estímulo que parecia inexistente. Os humoristas, enfim, saíram da zona de conforto.

Neste primeiro programa, entre algumas coisas que chamaram atenção, destacaram-se dois integrantes da turma. O primeiro, Guilherme Santana, ex-MTV, sensacional na pele de um Otário Mesquita tão caricato quanto o original. Um acerto da direção ao contratá-lo. Que os demais me perdoem, mas seria injusto não destacar a grande estrela do “Pânico”, o Carioca. Márvio Lúcio está um degrau acima de seus companheiros. Que me desculpe Tom Cavalcante, mas Carioca é hoje o maior imitador do país. E não é exagero tal afirmação. O que dizer do seu Boris Casoy? Arrepiante.

A aceitação do público foi imediata. Repito, é uma volta às origens. O “Pânico na Band” estreou com incríveis 11 pontos de média e pico de 14. Empatou com a Record, superou o SBT e a RedeTV, e ficou próximo da Globo. Antes, a emissora não passava de 2 no horário. Uma estreia pra ser comemorada por Emílio Surita e sua turma. Um bando de malucos talentosos.

João Paulo Dell SantoJoão Paulo Dell Santo
João Paulo Dell Santo consome TV e a leva a sério desde que se entende por gente. Em 2009 transformou esse prazer em ofício e o exerceu em alguns sites. No RD1, já foi colunista, editor-chefe, diretor de redação e desde 2015 voltou a chefiar a equipe. Pode ser encontrado nas redes sociais através do @jpdellsanto ou pelo email jpdellsanto@rd1.com.br.
Veja mais ›