Petrônio Gontijo como Edir Macedo, nas primeiras gravações de “Nada a Perder”.
Petrônio Gontijo como Edir Macedo, nas primeiras gravações de “Nada a Perder”

Ostentação talvez seja o termo mais adequado para definir o longa-metragem “Nada a Perder”, primeiro de uma série de três filmes que contarão a saga de Edir Macedo, líder da Igreja Universal do Reino de Deus e proprietário da Record. A superprodução tem estreia prevista para o primeiro trimestre de 2018.

Inspirado na biografia de mesmo nome, escrita por Douglas Tavolaro (vice-presidente de jornalismo da emissora) e com orçamento estimado entre R$ 10 milhões e R$ 16 milhões, o longa – que tem Petrônio Gontijo como protagonista – contará com cerca de 7.000 figurantes nas gravações que percorrem o país e que já se estenderam para o exterior, mais precisamente Israel.

Um dos momentos que exigiu a presença de vários figurantes foi a reconstituição do encontro de fiéis no estádio do Maracanã, no final dos anos 90, que atraiu cerca de 170 mil pessoas. Segundo o jornalista Ricardo Feltrin, a conturbada relação do líder religioso com a Globo também deve ser abordada – como as reportagens veiculadas pela emissora contra Macedo e contra a igreja, no “Jornal Nacional” e no “Globo Repórter”.

“Nada a Perder” terá em seu elenco André Gonçalves, Beth Goulart, Dalton Vigh, Day Mesquita, Eduardo Galvão, Marcelo Airoldi e Nina de Pédua. O filme tem roteiro de Stephen P. Lindsey (de “Sempre ao Seu Lado”) e direção de Alexandre Avancini, que deixou a novela “O Apocalipse”, com estreia prevista para o segundo semestre, para se dedicar apenas à produção.


Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!