“O Bem-Amado” ganha versão na Televisa; atrizes conhecidas dos brasileiros integram elenco

Jesús Ochoa, protagonista da versão mexicana de “O Bem-Amado” 

Um dos maiores êxitos da Globo na década de 70, “O Bem-Amado” ganhará versão mexicana através da Televisa, conhecida parceira do SBT. O produtor Nicandro Díaz está à frente de “El Bienamado”, adaptação da obra de Dias Gomes, com estreia prevista para o primeiro trimestre de 2017.

Primeira produção da Globo vendida para o mercado exterior – o México a acompanhou em 1976, três anos após sua estreia no Brasil –, “O Bem-Amado” traz a trajetória de Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), político demagogo que se elege prefeito de Sucupira amparado pela promessa de inaugurar um cemitério na cidade. O problema é que ninguém morre e os escândalos políticos de Odorico passam a ser explorados pela oposição e pela imprensa. Precisando inaugurar a única obra de sua gestão, o prefeito encomenda um defunto ao pistoleiro Zeca Diabo (Lima Duarte), que havia jurado não matar mais ninguém.

Na versão mexicana, Odorico Cienfuegos será vivido por Jesús Ochoa, conhecido do público brasileiro por sua participação em “Por Ela Sou Eva”. Em vídeo divulgado pela Televisa, o ator comentou sua escalação: “Lutei por este personagem, primeiro porque bati na porta e ela se abriu. Estou muito agradecido, muito feliz. É um personagem muito bem delineado, uma trama muito sólida, uma tragicomédia maravilhosa”.

Completam o elenco Chantal Andere (de “Marimar” e “A Usurpadora”), Nora Salinas (de “Esmeralda” e “Carinha de Anjo”) e Irán Castillo (de “Preciosa” e “Mundo de Feras). As três revivem as irmãs Cajazeiras, rebatizadas de irmãs Samperio, interpretadas no Brasil por Dirce Migliaccio, Dorinha Duval e Ida Gomes. Laura Zapata, irmã de Thalía, no ar por aqui em “A Gata”, também está em “El Bienamado”.

As primeiras gravações do remake estão previstas para a próxima segunda-feira (31), em locações no estado mexicano da Baixa Califórnia do Sul. O produtor-executivo Nicandro Díaz é responsável por sucessos como “A Dona” e “Carinha de Anjo”, cuja adaptação brasileira estreia no SBT em novembro.

Esta não é a primeira versão de “O Bem-Amado” no exterior. Em 1996, a novela foi adaptada pelo canal TVN, do Chile, rebatizada de “Sucupira”. No Brasil, a trama ganhou uma versão cinematográfica em 2010, com Marco Nanini no personagem-título, depois transformada em minissérie pela Globo.

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.

WordPress Lightbox