O último “beijo do gordo”: do anúncio do fim ao destino de Jô Soares

roberto-carlos_jo-soares-2016-2
Com Roberto Carlos, Jô atingiu segunda melhor audiência de 2016

Ainda era fevereiro quando uma notícia surpreendeu a todos. Antes mesmo de Jô Soares retomar suas atividades, a Globo confirmava o fim do “Programa do Jô”. Em comunicado oficial, a emissora dizia que “desde 2015, ficou combinado com Jô Soares que o ‘Programa do Jô’ ficaria no ar até dezembro de 2016. Neste ano, o programa celebra 16 anos na Globo e, por essas e outras, será de comemorações pela despedida de alguém tão especial para a história da televisão brasileira”.

Na mesma nota, Jô Soares endossava que “este foi um acerto dos dois lados, feito na última renovação de contrato”. Mas, na prática, a conduta do veterano ao longo dos meses que se seguiram desqualificou essa afirmação. Por diversas vezes. ele sinalizou que parar não era um desejo seu. Nos bastidores, demonstrava inconformismo. Em uma de suas declarações mais contundentes, argumentou: Não sou eu quem está deixando a TV. É a TV quem está me deixando”.

Nem mesmo os subtextos de Jô Soares foram suficientes para fazer a Globo voltar atrás. Não se sabe ao certo os motivos que levaram a emissora a tomar tal decisão, mas eles certamente resvalam nos problemas de saúde que o veterano enfrentou em 2014, quando passou algumas semanas internado para o tratamento de uma pneumonia.

O fato é que, imediatamente após o anúncio de que deixaria o “Programa do Jô”,  três questões se instauraram. A primeira delas a Globo se apressou em responder: contrariando as especulações da imprensa especializada, não caberia a Marcelo Adnet e seu “Adnight”, a missão de substituí-lo. De fato, essa teoria caiu por terra quando a emissora confirmou Pedro Bial como o novo dono da faixa. Para aceitar o desafio, o jornalista deixa o BBB, que passa para as mãos de Tiago Leifert.

Encerrado este assunto, começou a odisseia em busca de um nome de impacto para ser o último entrevistado. A Globo até tentou Pedro Bial – para que fosse feita uma passagem de bastão. Mas Jô Soares rechaçou a sugestão. No decorrer da temporada, conseguiu trazer para o seu sofá personalidades “bissextas”, que dificilmente aceitam o convite para ir a outros programas. São os casos de Faustão e Roberto Carlos, que garantiram ao talk show suas duas maiores audiências neste ano.

Para o último programa, Jô cogitou Roberto Irineu Marinho e Silvio Santos. Por essa razão, o veterano chegou a telefonar para o dono do SBT. Ouviu do Homem do Baú justificativa idêntica à que ele concede a todos os outros que fazem a mesma tentativa. Em resposta ao convite, o “patrão” recorreu ao lendário alerta dado por uma cigana: assim que conceder uma entrevista, o patriarca dos Abravanel morre no dia seguinte.

Mediante as negativas, o apresentador acabou fechando questão com Ziraldo, a personalidade que mais lhe deu entrevistas ao longo de 28 anos [somadas suas passagens por SBT e Globo]. Até que o dia 16 de dezembro finalmente chegou. Visto por uma plateia recheada de personalidades, Jô citou dois ex-dirigentes da emissora: à Marluce Dias da Silva, responsável por sua recontratação, ele agradeceu; à José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni – que teria tentado boicotá-lo – ele ironizou. Curiosamente, nenhuma referência à atual gestão foi feita.

Por fim, o desdobramento mais intrigante de todos: qual o próximo passo de Jô Soares na televisão? Mesmo negando veementemente essa possibilidade, a imprensa especializada dava como certo o seu retorno ao SBT. Silvio Santos, aliás, foi lembrado pelo apresentador em seu discurso de despedida. Houve, inclusive, quem garantisse que um novo vínculo já havia sido assinado com a emissora paulistana. Nesta semana, porém, essas convicções foram por água abaixo.

Depois de recusar uma coluna no Jornal da Globo e da divulgação de que ele poderia ser dispensado pela falta de um bom projeto, Jô Soares renovou com a Globo para ganhar um ano sabático. Passados esses doze meses, aí sim ele decidirá seu futuro. Não custa nada lembrar que a gente já viu este mesmo filme com Xuxa Meneghel em 2014. E já sabemos no que deu. A única questão que ainda permanece, portanto é: será que este foi mesmo o “último beijo do gordo”? As apostas continuam.

CONTINUE LENDO →

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.