Regina Duarte minimiza mortes da ditadura, canta e causa nojo geral

Fábio Almeida - 07/05/2020
COMPARTILHE
Regina Duarte foi detonada após entrevista na CNN Brasil (Imagem: Reprodução/ CNN Brasil)

Além de promover um barraco histórico, Regina Duarte também deu declarações polêmicas envolvendo a Ditadura Militar (1964-1985) em entrevista à CNN Brasil, nesta terça-feira (7). A atriz minimizou a censura, torturas e mortes do período, além de cantar uma música da época.

Na conversa exclusiva, comandada por Daniel Adjuto, a Secretária especial de Cultura do governo Bolsonaro declarou: “Na humanidade, não para de morrer [gente]. Por que as pessoas ainda ficam ó [chocadas]? Não quero arrastar um cemitério de mortos nas costas”.

“Se você fala em vida, tem morte. Stalin, quantas mortes? Hitler, quantas mortes? Sou leve, viva, estamos vivos, vamos ficar vivos”, acrescentou a famosa, que começou a cantar Pra Frente Brasil, canção associada ao período da ditadura. “Não era gostoso cantar isso?”, questionou ela.

Ainda na conversa, Regina relativizou o impacto do novo coronavírus e minimizou o seu papel ao mencionar mortes de artistas durante a pandemia. A atriz também voltou a defender que a Cultura não deve se alinhar à esquerda ou à direita, garantiu que apoia ao governo Bolsonaro e que ignora críticas antigas.

“Eu acho essa coisa de esquerda e direita tão abaixo do patamar da Cultura. Cultura não tem lado, é aberta para a humanidade, ela tem o plural na sua proposta. Ela tem o entendimento de todos os caracteres humanos”, desabafou.

“Eu apoio o governo Bolsonaro porque acredito que ele era e continua sendo a melhor opção para o país. ‘Ah, mas ele fez isso e aquilo’. Eu não quero ficar olhando para trás, senão eu vou dar trombada e cair no precipício. Ficar cobrando coisas que aconteceram nos anos 60, 70, 80”, acrescentou Duarte.

Barraco ao vivo

No meio da entrevista, a artista ficou irritada quando os apresentadores do CNN 360 pediram que ela ouvisse e comentasse um vídeo enviado à produção por Maitê Proença. Na gravação, a atriz questionava o seu silêncio diante do falecimento recente de colegas.

Enquanto o vídeo passava, Regina Duarte discutia com o repórter e a equipe presente, em Brasília. “Ai, não quero ouvir isso. Sinceramente eu acho isso baixo nível. Vai botar uma fala dela…”, disparou ela, que teve fala cortada, enquanto o público acompanhava as declarações de Proença.

Após o fim do desabafo da colega de profissão, a Secretária disparou: “Obrigada. Precisei dar um chilique aqui. Aliás, desculpem, telespectadores, mas tem horas que tem que botar o pé na porta”.

“Pra que? Vai desenterrar uma mensagem da Maitê Proença para que? O que você ganha com isso? Quem é você?”, completou a famosa, acreditando tratar-se de um vídeo antigo.

Confira a repercussão da entrevista:

CONTINUE LENDO →

Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e responsável pela coluna “Do Fundo do Baú”, publicada às quintas-feiras no RD1, com conteúdos marcantes da história da TV brasileira. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser através do email luizfabio@rd1audiencia.com

Deixe sua opinião!