03:59 :: 24/06/2017
Publicidade

Reta final de “Sol Nascente” discutirá o celibato

Da Redação 19:30 :: 12/03/2017
Publicidade


Padre Julião (João Vitti) abandona batina para viver amor com beata, em "Sol Nascente".
Padre Julião (João Vitti) abandona batina para viver amor com beata, em “Sol Nascente”

Os últimos capítulos de “Sol Nascente”, além dos enlaces dos mocinhos e dos castigos dos vilões, reservará também uma importante discussão sobre um tema bastante controverso: o celibato.

Através do Padre Julião (João Vitti) e da beata Elisa (Luma Costa), os autores do folhetim das 18h abordarão a vocação religiosa, os votos de castidade e o desligamento de um pároco de suas funções. Tudo com comedimento para não afrontar os católicos mais conservadores.

Julião e Elisa vão confessar o que sentem um pelo outro antes que ele tome, em definitivo, a decisão de abandonar a batina. Na ocasião, o padre confessará que não pode manter sua opção pelo celibato estando apaixonado por uma mulher. Beijando a mão da amada, dirá que continuará servindo a Deus, agora não mais como religioso, mas como homem comum.

Elisa, que durante boa parte da trama namorou o detetive Damasceno (Emílio Orciollo Neto), ficará exultante. Ela irá consentir com o pedido de Julião, de voltar para Arraial do Sol Nascente e ao trabalho na pousada de Ana Clara (Sylvia Bandeira), enquanto ele cuida dos tramites que envolvem seu desligamento da Igreja. Os dois ainda concordarão em aguardar o término do processo que irá liberá-lo de seus votos para se entregarem aos desejos da carne.

Abordagens sobre celibato não costumam ser constantes na televisão, justamente para não melindrar Igreja e religiosos. Em “Mulheres Apaixonadas” (2003), Padre Pedro (Nicola Siri) resistiu durante toda a novela, mas se entregou a Estela (Lavínia Vlasak) no último capítulo. Em “Carinha de Anjo”, do SBT, a noviça Cecília (Bia Arantes) sonha em abandonar o hábito para se unir a Gustavo (Carlo Porto), pai de sua aluna Dulce Maria (Lorena Queiróz).


WordPress Lightbox