Saiba quais novelas a Globo está preparando para 2018 e 2019

Globo organiza fila de novelas até 2019; conheça tramas

As novelas da Globo previstas para 2017 ainda não estrearam – e sempre há o risco de serem proteladas, reformuladas ou simplesmente guardadas na gaveta. No entanto, as produções que estão por vir, entre 2018 e 2019, já são bastante comentadas, tanto na imprensa, como entre os noveleiros.

O RD1 preparou um especial com os trabalhos previstos para os horários das seis, das sete, das nove e das onze, no ano que vem e no seguinte.

Confira:

Elizabeth Jhin, autora da novela que deve ocupar o horário das 18h no início de 2018

Novelas das 18h

Ausente do vídeo desde “Além do Tempo”, encerrada em janeiro de 2016, Elizabeth Jhin prepara uma novela para o primeiro semestre de 2018, outra vez para o horário das seis. A encomenda partiu de Silvio de Abreu – a princípio, para ocupar a vaga de “Os Dias Eram Assim”, remanejada para às onze; depois, adiada para após “Amor e Morte”, com estreia prevista para setembro deste ano.

O que se sabe sobre este novo trabalho de Jhin, até o momento, é que a direção artística caberá a Rogério Gomes, seu companheiro em todas as empreitadas, desde “Escrito nas Estrelas”. E há suspeitas de que a trama será ambientada em Salvador, antigo desejo da autora.

No segundo semestre, Edmara Barbosa substitui Elizabeth Jhin, estreando como autora solo na Globo; na década de 80, ela assinou uma versão de “O Tronco do Ipê” na Cultura e ensaiou um projeto próprio na Manchete. Filha de Benedito Ruy Barbosa, Edmara está encarregada de adaptar a obra de Francisco Azevedo, “O Arroz de Palma”.

Trata-se dos mais de 100 anos de história da família de José Custódio e Maria Romana, revisitados pelo filho Antônio. O arroz do título se refere ao cereal jogado sobre José e Maria no dia do casamento e recolhido por Palma, irmã dele. Carlos Araújo, atualmente à frente de “Os Dias Eram Assim”, é quem dirigirá.

Maurício Gyboski prepara uma nova sinopse para às seis, depois de ver sua “Trem Bom”, sobre dois astros em ascensão no sertanejo universitário, cancelada no final de 2015. “Pátria Gigante” conta a história de amor de um militar brasileiro, que participa da Missão das Nações Unidas no Haiti, e uma moradora local, assistente social. Não há detalhes sobre a produção; a estreia deve ocorrer no primeiro semestre de 2019.

Daniel Adjafre fará sua estreia como autor de novelas em”Deus Salve o Rei”

Novelas das 19h

Início da década de 90: Fernando Collor confisca a poupança; surge a MTV, emissora musical. É entre as dificuldades causadas pela medida econômica e o deslumbre com o canal de videoclipes que estão os personagens de “Anos Incríveis”. A trama de Izabel de Oliveira e Paula Amaral ocupa o posto que seria de “Barba Azul”, folhetim de Antônio Calmon e Guilherme Vasconcelos cancelado agora em janeiro.

Na trama, com direção artística de Jorge Fernando e estreia prevista para janeiro de 2018, um radialista de sucesso nos anos 80 migra para a TV; é também o reencontro de três amigos, que conheceram a fama na década anterior e agora amargam o ostracismo.

“Deus Salve o Rei” marcará a estreia de Daniel Adjafre como autor de novelas. Colaborador de Lícia Manzo em “A Vida da Gente” e “Sete Vidas” e responsável pelas séries “A Cara do Pai” e “Cidade dos Homens”, Daniel aposta numa trama capa-e-espada para angariar a complicada plateia das sete da noite.

O gênero, é claro, remete a icônica “Que Rei Sou Eu?”, mas também a “Belaventura”, que irá ocupar, em junho deste ano, o primeiro horário de novelas da Record. Com direção artística de Fabrício Mamberti, também parceiro em “A Cara do Pai”, “Deus Salve o Rei” é ambientada na Idade Média, entre dois reinos fictícios que entrarão em guerra.

Já para 2019, três novelas no páreo: responsáveis pela vitoriosa “Totalmente Demais”, Paulo Halm e Rosane Svartman trabalham em “Chuvas de Verão”, título provisório de uma novela que, a princípio, parece ser praiana; os autores viajaram para Paraty em busca de subsídios para a trama.

Benedito Ruy Barbosa, que nunca escreveu para o horário das sete, entregou “O Último Beijo”, desenvolvida com o neto Marcos Barbosa de Bernardo, para avaliação – o folhetim também esteve cotado para a faixa das seis e pode se encaixar, segundo o autor principal, no horário das nove. Há também expectativas para o retorno de Daniel Ortiz; pupilo de Silvio de Abreu, que ficou pouco tempo fora do ar entre “Alto Astral” e “Haja Coração”.

“O Sétimo Guardião”, de Aguinaldo Silva, é cartaz das oito em maio de 2018

Novelas das 21h

“O Sétimo Guardião” talvez seja, dentre as novelas que só estreiam em 2018, a mais comentada até o momento. Retomada do realismo fantástico que permeia a obra de Aguinaldo Silva nos anos 90, a novela terá Chay Suede (Gabriel) e Marina Ruy Barbosa (Clara) como protagonistas; em contraponto ao casal, as vilãs Thaila Ayala e Lilia Cabral (Valentina Marsalla).

Por meio desta última, o autor ressuscitará Nazaré (Renata Sorrah), a vilã que domina os memes, saída de “Senhora do Destino”. Vivianne Pasmanter terá papel-chave na trama, como uma moça que não envelhece; Milhem Cortaz, egresso da Record, viverá um fetichista, viciados em lingeries. A direção artística deve ficar com Rogério Gomes – caso ele concilie “O Sétimo Guardião” com a próximo folhetim de Elizabeth Jhin, exibida na mesma época.

Há expectativas para que, no segundo semestre de 2019, a Globo promova um de seus roteiristas ao “olimpo das nove”. Vale lembrar que Duca Rachid e Thelma Guedes tiveram tal promoção cancelada após a análise dos primeiros capítulos de “O Homem Errado”, cuja estreia estava prevista para outubro deste ano, vaga que agora é de Walcyr Carrasco.

Pela ordem, um novo trabalho de João Emanuel Carneiro, de “Avenida Brasil” e “A Regra do Jogo” é que ocuparia o posto das nove nesta época. Manuela Dias, da aclamada “Justiça”, com uma história originalmente pensada para a faixa das onze, “Um Mundo Novo”, deve vir na sequência. Há ainda expectativas quanto a uma nova produção de Gilberto Braga no horário.

George Moura tem dois novos projetos na Globo
George Moura divide com Sérgio Goldenberg a autoria de “Onde Nascem os Fortes”, próxima das 23h

Novelas das 23h

George Moura e Sérgio Goldenberg responderão pela novela – ou “supersérie”, como a Globo vem ensaiando chamar – que será exibida no horário das onze em 2018. Parceiros em “O Canto da Sereia”, “Amores Roubados” e “O Rebu”, George e Sérgio agora se debruçam sobre “Onde Nascem os Fortes”, um drama ambientado no Sertão.

José Luiz Villamarim, recuperado de uma estafa e consequentes problemas cardíacos, responderá pela direção artística. Até o momento, esta é a única “supersérie” prevista para os próximos anos. É sabido que Globo virá com uma aposta forte em séries e minisséries em 2017 e 2018; há seis títulos em produção.

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.