Sergio Marone diz que masturbação faz bem e explica o motivo em vídeo

Sergio Marone
Sergio Marone fala sobre masturbação em vídeo didático (Imagem: Reprodução / Instagram)

Sergio Marone, estrela de novelas da Record, se manifestou sobre um assunto considerado polêmico pela sociedade: a masturbação. O ator usou o Instagram e sem meias palavras falou que o ato “é tudo de bom”.

“Masturbação tem tudo a ver com melhorar o nosso humor, porque quando a gente se masturba e goza, a gente libera endorfina e ocitocina, que são neurotransmissores, substâncias que modulam a imunidade”, informou.

“E essas substâncias ajudam a aumentar a sensação de prazer, relaxamento, ajudam no sono e ativam a sensação de recompensa no nosso corpo, ou seja, é tudo de bom”, concluiu.

“Só você falando já mim sentir relaxada”, disparou uma fã nos comentários da publicação. “Inspiração não falta com um professor desses…”, cutucou mais um. “Ai você quer acabar com a gente mesmo, né Marone”, ironizou uma terceira. “Sou adepto dessa terapia”, admitiu mais um.

Ataque a Bolsonaro

Sergio Marone manifestou sua repulsa ao atual governo com uma interpretação divulgada em suas redes sociais. Em gravação, o artista interpreta um texto da jornalista Caro Pires. O texto da roteirista foi publicado no jornal Folha de S. Paulo, originalmente, no dia 28 de agosto passado. “Onde já se viu querer viver?”, começou o apresentador do SBT.

“Tudo bem o dólar caro, disse um ministro. Afinal, ‘empregada doméstica estava indo para a Disney, uma festa danada’. Energia mais cara no país de 14 milhões de desempregados? ‘Qual é o problema?’, pergunta o mesmo. Estão gastando seu salário-mínimo sem direitos trabalhistas com que, afinal? Com leitura não é, já que ‘só rico lê’. Comida podem pegar do que desperdiça a classe média, como já sugeriu”, desabafou.

Sergio Marone ainda seguiu: “O problema, diria, é que ‘rico capitaliza recursos, pobre gasta tudo. Ainda têm a audácia de, sendo filho de porteiro, querer estudar com bolsa do Fies!'”.

“É que ‘universidade deveria, na verdade, ser para poucos’, argumenta outro ministro. Sem falar do estudo básico, que também deveria ser limitado, já que algumas crianças têm ‘um grau de deficiência que é impossível conviver’, segundo o deficiente de alma”, completou.

Confira:

Paulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].
Veja mais ›