Tatá Werneck revela que perdeu 5 voos por medo e urinou em “macumba”

Foto: Carol Caminha/Gshow
Tatá Werneck concedeu entrevista ao “Programa do Jô” desta terça-feira (13)

Tatá Werneck falou sobre medos e superstições durante entrevista ao “Programa do Jô”, exibido na noite desta terça-feira (14). A humorista, que está divulgando o filme “TOC”, previsto para estrear em 2017, revelou que está há 22 anos sem comer pipoca e que morre de medo de avião.

“Na Copa de 94, minha avó me fez prometer que se o Brasil ganhasse, eu nunca mais comeria pipoca. E, realmente, nunca mais comi pipoca com medo que ela tenha alguma coisa, caso eu coma”, declarou a artista, que também declarou ser vegana.

Ela detalhou o medo que tem por aeronaves. “Durante uma novela (‘Haja Coração’), lembro que teve um dia em que eu perdi cinco voos. Entrei em três voos e sai porque senti que era a minha hora e não queria prejudicar a galera”, brincou. “Depois, entrei em um outro voo e falei ‘preciso ir para casa’, era a minha única folga. Estava em São Paulo. Entrei, aí encontrei Paulinho Serra, que trabalhou comigo a vida inteira. […] Uma história linda, os dois se encontraram para a morte”, continuou.

“Fechou a porta e eu saí, inventei que entrou um adentro e precisava gravar. Depois, estava no avião de novo, à noite, e falei ‘ preciso ir’. Eu juro, fechou a porta e uma mulher grávida levantou e falou assim: ‘eu estou grávida e não vou nesse voo’ e eu falei ‘eu também estou grávida e não vou’ e saí do voo”, relatou, arrancando gargalhadas da plateia.

Tatá revelou ainda que já confundiu um presente com um suposto “feitiço” para ela: “Abri a gaveta e achei tipo um testículo preto. Aí a Celeste que trabalha lá em casa falou que isso era trabalho feito, macumba. Fiquei desesperada”. Ela ligou para um amigo, que aconselhou: “Falou que isso era macumba da braba e que tinha que urinar em cima. […] Quando eu vi estavam eu e Celeste urinando em cima”.

CONTINUE LENDO →

Henrique Brinco é baiano, formado em Comunicação Social pela Unijorge, de Salvador. Atua no jornalismo desde 2008, passando pelas editorias de política, cidades, cultura e entretenimento em diversos portais de notícias, locais e nacionais. Foi por cerca de dois anos editor-chefe do site Varela Notícias, de Raimundo Varela, apresentador da Record Itapoan. Já foi colunista do RD1 anteriormente, por seis anos. Atualmente é repórter de política do jornal Tribuna da Bahia e do site BNews.