01:11 :: 27/05/2017

Vou Processar a Record

Arthur Vivaqua 13:16 :: 15/01/2013

Paulo-Henrique-Amorim-620x413

Vou processar a Record.

Em Máscaras, novela da emissora, duas irmãs dividiam harmoniosamente o mesmo homem.

Também lá, um homem casado tinha um caso com a ex-mulher e ambas eram amigas (!).

E, epa!, quase me esqueço: O vilão da novela tinha um fetiche pela irmã caçula.

Mencionarei também no processo o personagem que ‘pegou’ três amigas e a milionária que, gentilmente, fazia de sua mansão um ‘bordel’.

Também estou profundamente ofendido com os “banhos” mostrados na Fazenda, os closes ginecológicos na Dani Bolina no extinto “Tudo é Possível” e com a vestimenta da Juju no “Legendários”.

O pior, porém, vem agora: Acompanho as novelas da Record desde 2004 e NUNCA vi uma protagonista evangélica ou, sequer, um evangélico sendo retratado sob um bom contexto.

ABSURDO! PRECONCEITO!! PERSEGUIÇÃO!!!

Como tolerar novelas com mutantes, escravos e assassinos, sem ninguém que vá à Igreja?

(Aliás, em Máscaras havia um ateu. Pena que ninguém reparou, visto que seu intérprete era Dado Dolabella)

Meu processo, no entanto, será honesto. Mencionarei as minisséries bíblicas.

Obviamente elas não visam Ibope, lucro e tampouco são “marketing religioso” como, segundo a santa Record, é o Festival Promessas produzido pela Globo.

As minisséries são puras, castas e visam almas. Nelas não mexo!

Posso, porém, falar sobre o Jornalismo.

Lembro-me da reportagem “anti-Valdemiro”, da “anti-Valadão”, da “anti-Católica”, da anti…

Engraçado: Pensando bem, somente uma reportagem não foi “anti”: A que relatava os belos trabalhos sociais realizados pela IURD.

Incluirei isso no meu processo, o que acham?

Também não me esquecerei de falar sobre a exploração da desgraça alheia e, caso haja tempo, relatarei também a ausência de cristianismo em todas as suas produções. (Gugu, imaginem, nunca fez o sinal da cruz!)

Uma dúvida, porém, me corrói:

Será que o Paulo Henrique Amorim falará sobre o meu processo?

Algo me diz que não.

A memória dele é (seletiva) fraca, visto que seu Domingo Espetacular jamais mencionou o processo no qual Paulo foi condenado por racismo contra um repórter da Globo.

Aliás, que esquisito: Acabo de notar que o DE nunca faz longas reportagens sobre a corrupção do atual governo!

Nunca vi o Amorim sequer pronunciar as palavras “mensalão”, “Marcos Valério” ou “Rose”!

OBS: Espero que isso não tenha a ver com o fato da Caixa Econômica (estatal do Governo) patrocinar seu site pessoal…

Enfim, vou à luta.

Desejem-me sorrrrrrrte.

Acho que, lidando com esse pessoal, vou precisar…

 

Twitter: @ArthurVivaqua

E-Mail: arthurvivaqua@yahoo.com.br


WordPress Lightbox