Alexandre Garcia detona Giuliana Morrone e rebate críticas à Globo

Alexandre Garcia
Alexandre Garcia diz que foi surpreendido e que ex-colega usa máscara há muito tempo (Imagem: Reprodução / YouTube)

Pivô de uma conversa vazada entre os jornalistas Giuliana Morrone e Gerson Camarotti nos bastidores da Globo, Alexandre Garcia usou o seu canal no YouTube para esclarecer pontos da conversa e rebater acusações de que teria apoiado a cassação da concessão da emissora que o empregou por mais de 30 anos.

No vídeo que recebeu o título de “A resposta de um gagá”, o ex-âncora do Bom Dia Brasil lamenta o vazamento do áudio, que ele reconhece ser fruto de um diálogo pessoal e sem a intenção de divulgação entre os envolvidos, e diz esperar que suas declarações não tragam prejuízos à Giuliana, já que o conteúdo é apenas “um desabafo”.

O jornalista iniciou a resposta lendo um trecho em que a ex-colega o acusa de endossar o discurso do presidente Jair Bolsonaro de cassar a concessão da Globo, mas, em sua resposta, acabou cometendo um equívoco ao dizer que nunca foi diretor de jornalismo da Globo.

“Isso é gravíssimo, por que eu jamais faria isso, pela minha índole, pela ética e pelo respeito por uma emissora que sempre me respeitou, eu não faria isso. Outra questão é que ela afirma que ‘ele foi diretor daqui toda a vida’. Gente, eu estive lá 32 anos, eu nunca fui diretor. Chamava editor regional quem comandava a redação”, rebate.

Apesar da declaração, o nome de Alexandre consta nos registros oficiais da Globo como diretor de jornalismo de Brasília entre os anos 1990 e 1995. O termo utilizado para designar sua função na época, aliás, pode ser confirmado por meio de uma entrevista em que Roberto Irineu Marinho concedeu à Folha de S.Paulo em julho de 1995, admitindo que Garcia havia sido afastado de sua função de diretor por carregar uma imagem de porta-voz do governo de Fernando Henrique Cardoso, comprometendo assim a credibilidade do jornalismo da emissora.

Alexandre continua: “Uma outra coisinha é que, quando eu botei a mensagem, a que ela se refere, depois da entrevista da Regina Duarte, em solidariedade à Regina, eu botei a mensagem dizendo que eu pensava que a CNN seria uma alternativa, mas ficou igual. Mas eu não disse, eu não citei nenhuma emissora. Eu não citei nenhuma emissora”, diz.

Com certo constrangimento, o atual comentarista do Canal Rural também comentou as falas de Morrone de que participava de eventos cobrando pouco cachê, topando “qualquer coisa”.

“Eu cobro pouco sim para empresas pequenas da minha cidade, Brasília, que me chama para ser mestre de cerimônias, alguma inauguração, algum aniversário da empresa, inclusive a vidraçaria. Eu não tenho nenhum preconceito contra vidraceiro”, provoca, aos risos.

No vídeo, Alexandre nega que não tenha sido convidado para a CNN Brasil, classificando essa declaração de Giuliana como uma “inverdadezinha menor”.

“Ela afirmou lá pelas tantas que ‘a CNN não o chamou’. Parece que tava numa torcida, mas enfim, o fato é que chamou, por meses, e chama até agora. Eu, por exemplo, vou participar de um programa da CNN no fim de semana”, avisa.

O jornalista também se dirige ao Gerson Camarotti – que, segundo a sua avaliação, estava constrangido com as falas da colega.

“Só tem uma coisinha, ele chamou meus seguidores de radicais. Eu devo dizer que eu não faço filtragem de ideologia. Quanto mais diversidade de ideias, é melhor para um canal. Ele teria razão, inclusive, na hora que falou ‘ah, ele cuspiu no prato que comeu’. Teria razão se fosse verdade aquilo que a interlocutora dele falou. Mas como eu expliquei pra vocês, não é verdade”, afirma.

Por fim, Alexandre Garcia declara que não vai julgar a ex-colega de bancada mas que foi surpreendido por suas declarações.

“Surpresa porque fomos colegas, fomos parceiros em programas e até hoje nos encontramos na missa de domingo, inclusive na fila de comunhão. E aí quando eu vejo que sou qualificado como ridículo, como gagá e que eu causo revolta a ela, eu vi que fui excomungado. Mas enfim, a gente está em tempos de ter que usar máscaras, às vezes se usa máscara por tanto tempo que ela se esgarça e cai”, finaliza.

Veja:

Daniel Ribeiro cobre televisão desde 2010. No RD1, ao longo de três passagens, já foi repórter e colunista. Especializado em fotografia, retorna ao site para assinar uma coluna que virou referência enquanto esteve à frente, a Curto-Circuito. Pode ser encontrado no Twitter através do @danielmiede ou no danielribeiro@rd1.com.br.

WordPress Lightbox