Ativista LGBTQ+ não desiste e entra com novo recurso contra Neymar

Agripino Magalhães
Agripino Magalhães entrou com novo recurso contra Neymar (Imagem: Reprodução / Instagram)

Após o Ministério Público de São Paulo ter negado o inquérito por homofobia contra Neymar, o ativista LGBTQIA+ Agripino Magalhães, que abriu a causa, resolveu ter protocolar um recurso para revisão do caso.

Segundo o jornal Extra, o ativista da causa afirmou que a promotoria do ministério entendeu, após análise do material entregue, não haver os crimes de homofobia, ameaça de morte e incitação ao ódio.

Para quem não sabe, a ação iniciou após Neymar chamar Tiago Ramos, ex-namorado da mãe, de “viadinho” em um áudio vazado. Ainda na gravação, amigos do craque sugerem que o modelo seja torturado com um cabo de vassoura no ânus.

“Temos leis que garantem isso. Vamos levar o caso às instâncias superiores, caso seja necessário. Não fazemos isso pelo Tiago Ramos, mas por todos os nossos irmãos LGBTQIA+. Que as pessoas ( que praticam delitos desta natureza) possam ser punidas”, afirmou Magalhães.

O jogador deveria encabeçar ações contra esse tipo de postura. Ninguém tem o direito de ofender ninguém pela orientação sexual”, disse o ativista, que ainda solicitou a retenção do passaporte de Neymar, que joga para o PSG.

Agripino ainda contou que pretende contactar marcas ligadas a Neymar, para que elas se posicionem sobre o ocorrido.

CONTINUE LENDO →

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.