BBB 2021: Gilberto se emociona ao lembrar de violência doméstica na família

BBB 2021
No BBB 2021, Gilberto se emociona ao lembrar de violência doméstica na família (Imagem: Reprodução / Globoplay)

Gilberto realizou o sonho de entrar no BBB 2021 e avançou bastante na sua graduação acadêmica, mas seu passado traz histórias não tão gloriosas. Na festa mais recente, que rolou até à madrugada de quinta-feira (22), o brother da Pipoca lembrou de episódios de violência doméstica que presenciou.

Saiba tudo sobre o BBB 2021 na cobertura do RD1

O doutorando em Economia lembrou que o pai, que o abandonou quando ainda era criança, agredia a própria mãe e que isso era torturante: “Meu pai brigava muito com a minha mãe, batia nela. Eu queria muito uma solução, nem que fosse morrer. Era uma coisa que eu não aguentava mais”.

No momento do desabafo, que tinha Fiuk como ouvinte, tocava a canção La Belle de Jour, conhecida na voz de Alceu Valença: “Essa música foi muito marcante. Cada vez que eu me via melhor do que aquele momento, eu ouvia essa música e pensava: ‘Caramba, hoje tá melhor do que ontem’

Passei na faculdade, passei na federal, me formei, entrei no mestrado… Cada festa ou comemoração, eu colocava La Belle de Jour”, continuou Gilberto, citando que essa música marca uma fase de superação em sua história pessoal e familiar.

Jacira, a mãe do pernambucano, chegou a contar essa história em entrevista à Patricia Kogut, também confirmando que era vítima: “Eu sofria violência doméstica do pai dele e inclusive precisei fugir para São Paulo por um tempo para escapar. Nesta época, o Gilberto tinha quatro anos e ficou morando com a minha sogra. O pai achava que ele não era filho dele pelo fato de ter nascido mais claro. Com isso, ele também apanhava e sofria perseguição”.

Confira:

52258 votes · 52258 answers
VOTE E VEJA O RESULTADO

Matheus Henrique MenezesMatheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›