Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro rebateu questionamento de Leilane Neubarth sobre fim de secretaria (Imagens: Reprodução / Globo – Globo News)

Poucos dias após a posse, o presidente Jair Bolsonaro se desentendeu com a jornalista Leilane Neubarth, da Globo News, após ela criticar o fim de uma secretaria dedicada às pessoas com deficiência auditiva.

“Será que a primeira dama, Michelle Bolsonaro, sabe que, mesmo depois daquela bela homenagem na posse aos surdos do Brasil, o Min. da Educação Vélez Rodrigues, no primeiro dia de governo, acabou com a secretaria que cuida da educação dos surdos?”, questionou ela em referência ao discurso em libras feito na cerimônia pela esposa do presidente.

Rebatendo o posicionamento da apresentadora, Bolsonaro repostou uma mensagem de um apoiador do perfil. ”Suas funções e competências foram transferidas para outras diretorias na reestruturação, conforme você pode ver nos artigos abaixo. Se você dá meia informação pros seus seguidores, você apenas está desinformando. Nesse caso seria melhor se abster de comentar o que não apurou.”

Depois, Leilane voltou à rede social para concluir a sua análise sobre o tema: “Só pra esclarecer: não concordo que tenha sido um “marketing”, acho que ela fez de coração… Mas que a secretaria acabou…. Acabou”.

Rafael Cortez critica Bolsonaro, após extinção do Ministério da Cultura

Rafael Cortez compartilhou sua opinião sobre a extinção do Ministério da Cultura. Outras medidas do presidente Jair Bolsonaro, empossado no último dia 1°, também renderam críticas por parte do apresentador.

Na legenda, Cortez disse que a decisão foi uma “cagada“. “Dois dias de governo e um monte de cagadas já: FUNAI deixando de responder pelas terras indígenas, sendo atribuição agora do Ministério da Agricultura. LGBTs não ganhando uma secretaria específica com uma ministra que ignora o Estado Laico por ser extremamente cristã. Extinção do Ministério do Trabalho. Reajuste do salário mínimo abaixo do aprovado pelo Congresso“, começou.

Presidente prometendo eliminar o Socialismo de um país que nunca foi Socialista. E, agora, a extinção do MinC, que era uma conquista dos brasileiros. Quem sair julgando aqui e falando besteira de Lei Rouanet (que nunca me deu um centavo na vida) certamente não sabe do que está falando e do tamanho dessa perda pro nosso país. Cultura é um dos pilares estruturais da sociedade. Começamos muito, mas muito mal!“, concluiu Rafael Cortez.

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!