Canal Viva desiste de faixa dedicada às minisséries mais uma vez

Canal Viva
Marcos Pasquim, Humberto Martins e Caco Ciocler em cena da divertida O Quinto dos Infernos (Imagem: Divulgação / Globo)

O Canal Viva desistiu mais uma vez de manter uma faixa diária dedicada às minisséries, formato que marcou época na Globo e que acabou abandonado pela líder de audiência na TV aberta devido aos altos custos de produção.

publicidade

Em janeiro deste ano, o canal de reprises inaugurou uma nova faixa, às 20h30, com a histórica A Casa das Sete Mulheres (2003) abrindo os trabalhos.

Com a chegada da mexicana Marimar (1994) às 20h30, horário hoje ocupado por A Usurpadora (1998), as minisséries foram remanejadas para as 19h30, e Presença de Anita (2001), Chiquinha Gonzaga (1999) e O Quinto dos Infernos (2002) deram sequência à fila.

publicidade

Veja Também

Na última terça-feira (02), porém, com o fim da extravagante história escrita por Carlos Lombardi e estrelada por Marcos Pasquim, Humberto Martins, Luana Piovani, Danielle Winits e grande elenco, o Viva resolveu, mais uma vez, suspender a faixa.

Desde quarta-feira (03), Toma Lá, Dá Cá (2007/2009), o Chaves do canal global, passou a ocupar o horário que antecede A Usurpadora. A mudança, porém, não vai durar muito. A partir do dia 15, a sitcom de Miguel Falabella dividirá o espaço com a estreia de Mister Brau (2015/2018).

O fim de uma faixa exclusiva para minisséries frustrou a comunidade noveleira. Era esperado que grandes títulos, como Hilda Furacão (1998), A Muralha (2000), Os Maias (2001), Um Só Coração (2004), Mad Maria (2005) e JK (2006) viessem na sequência de O Quinto dos Infernos.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Vale lembrar que as minisséries da Globo já “passearam” por vários horários da grade do Canal Viva, à moda Silvio Santos, sendo o penúltimo aos domingos, à meia-noite, com episódios semanais de histórias mais curtas, como Engraçadinha: Seus Amores e Seus Pecados (1995), Dona Flor e Seus Dois Maridos (1998) e Anos Dourados (1986).

publicidade

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui
João Paulo Dell SantoJoão Paulo Dell Santo
João Paulo Dell Santo consome TV e a leva a sério desde que se entende por gente. Em 2009 transformou esse prazer em ofício e o exerceu em alguns sites. No RD1, já foi colunista, editor-chefe, diretor de redação e desde 2015 voltou a chefiar a equipe. Pode ser encontrado nas redes sociais através do @jpdellsanto ou pelo email jpdellsanto@rd1.com.br.