Deputado defende livrar Globoplay de taxa que afetará streamings e YouTube; entenda a proposta

Paulo Carvalho

Revisado por: Luiz Fábio Almeida

14/05/2024

Globoplay
Globoplay pode escapar de pagar taxa com base em projeto de lei (Imagem: Divulgação / Globo)

O deputado André Figueiredo virou o principal assunto de Brasília, da internet e de quem é apaixonado pelo streaming. O político enviou para os líderes da Câmara um projeto de lei que regula serviços de streamings e vídeos sob demanda, como Netflix e Youtube, mas o Globoplay não.

A tributação está no projeto para o pagamento da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine), segundo o portal Metrópoles.

Os valores são progressivos, até chega no teto de 6% sobre a receita bruta no mercado brasileiro, incluindo receitas com publicidade. As plataformas de fora devem bancar essa taxa, menos o Globoplay.

André Figueiredo especifica o Serviço de Televisão por Aplicação de Internet, categoria a ser tributada, e aponta que a definição não inclui serviços do topo promovidos por concessionárias de radiodifusão de sons e imagens, como é o caso da Globo.

Além do streaming, relator mira em influenciadores

Além das plataformas, influencers também estão na mira, pois poderão pagar a Condecine valores obtidos com visualização de seus conteúdos.

Com o intuito de não permitir que plataformas repassem o custo da Condecine aos influenciadores, definidos como “importante categoria de formadores de opinião”, o texto garante que os aplicativos poderão deduzir metade do valor da taxa de remuneração dos influencers por monetização de views.

Existe ainda uma cota de 10% das horas do catálogo para conteúdos brasileiros. 50% dos conteúdos devem ser feitos por produtores controlados por mulheres, negros, indígenas, quilombolas, pessoas com deficiência, pessoas de comunidades tradicionais e em vulnerabilidade.

O parecer preliminar do relator ainda destaca que 10% das receitas da Condecine serão destinadas a estas produtoras e, dentro disso, ao menos 30% devem ser enviada para produtoras do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui
Paulo Carvalho
Escrito por

Paulo Carvalho

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].