Eduardo Bolsonaro reage pistola contra a Globo e questiona tortura de Miriam Leitão

Eduardo Bolsonaro
Eduardo Bolsonaro reagiu contra críticas por comentário (Imagem: Reprodução / YouTube)

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) decidiu comentar, nesta segunda-feira (4), sobre a polêmica que criou envolvendo Miriam Leitão. O filho “03” do presidente Jair Bolsonaro (PL) foi criticado e alvo de políticos após ter debochado das torturas sofridas pela jornalista em 1973.

Em sua defesa, ele compartilhou um vídeo no qual faz críticas à imprensa. Segundo ele, “sobre a questão da cobra, existe apenas a palavra da Miriam Leitão dizendo que isso ocorreu”.

Na gravação, o parlamentar ainda mostrou manchetes de reportagens e colunas de vários veículos e afirmou que “se eles de fato se preocupassem com uma democracia saudável, com o combate ao discurso de ódio, eles não se indignariam com chamadas de jornais como essas?”.

Veja Também

“Não estão realmente preocupados com um tuíte que eu dei e que eu possa ter ofendido a Miriam Leitão, estão preocupados em sair como vítimas e colocar em mim a pecha de torturador, de ser extremista, quando na verdade é justamente o contrário”, comentou Eduardo Bolsonaro.

A Fenaj (Federação Nacional dos Jornalistas) repudiou a declaração do deputado e disse que defende a imediata abertura de processo ético contra ele.

A entidade lembrou que “não foi a primeira vez que Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, tratou a tortura como uma prática banal e defensável. Também não foi a primeira vez que a jornalista Míriam Leitão foi desrespeitada pela família Bolsonaro, em sua história de militante e presa política”.

A polêmica de Eduardo Bolsonaro e Miriam Leitão

Tudo começou quando o deputado postou em seu Twitter uma mensagem debochando da tortura sofrida por Miriam Leitão, da Globo, durante a ditadura militar.

O comentário foi feito em resposta a uma postagem em que a jornalista afirmou que Jair Bolsonaro (PL) é um inimigo confesso da democracia. Em texto, a comentarista lembrou que “Bolsonaro atacou ministros do STF com palavrões, defendeu a ditadura, colocou em dúvida as urnas eletrônicas, elogiou um parlamentar delinquente”.

O filho do presidente da República, então, escreveu: “Ainda com pena da cobra”, numa referência a um dos métodos empregados pelos torturadores da jornalista.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

MAIS LIDAS

Luiz Fábio Almeida
Luiz Fábio Almeida é jornalista, produtor multimídia e um apaixonado pelo que acontece na televisão. É redator e colunista do RD1. Está nas redes sociais no @luizfabio_ca e também pode ser encontrado através do email luizfabio@rd1.com.br
Veja mais ›