Boechat
Investigação sobre acidente de helicóptero que matou Ricardo Boechat ainda não foi concluída (Imagem: Divulgação / Band)

Questionada sobre a colaboração com as investigações acerca do acidente que levou Ricardo Boechat à morte, em fevereiro deste ano, a empresa Zum Brazil, supostamente responsável pelo transporte do jornalista na ocasião, se manifestou após consulta do jornalista Ricardo Feltrin, do “UOL”.

No dia 11 daquele mês, no início da tarde, Boechat, de 66 anos, voltava de uma palestra feita para funcionários da farmacêutica Libbs, em Campinas, quando a aeronave caiu na Anhanguera, próximo ao pedágio que liga a rodovia ao Rodoanel. Boechat e o piloto, Ricardo Quatrucci, morreram no local.

A empresa de eventos Zum Brasil enviou um comunicado a Feltrin sobre o apoio que tem dado nas investigações do acidente. “A empresa lamenta profundamente o falecimento do jornalista e apresentador Ricardo Boechat, bem como o do piloto Ronaldo Quattrucci, que era dono da RQ“, afirmou.

Informamos que temos colaborado intensamente para esclarecer todos os fatos envolvendo o acidente, tanto nos autos do processo, como diante das autoridades“, completou.

Procurada pela reportagem, a Libbs Farmacêutica afirmou que a Zum Brazil foi responsável pela produção do evento e o transporte do jornalista da Band. A Aeronáutica, que investiga o caso, não apresentou uma conclusão sobre o acidente. Há indícios de que o helicóptero não estava apto para transportar passageiros.

Veruska Seibel, viúva de Ricardo Boechat, entrou com uma petição na Justiça para que fosse apurada a responsabilidade sobre a contratação e se houve irregularidades no acordo para o transporte que, lamentavelmente, levou Boechat à morte.

🔔Boletim RD1 | Notícias dos Famosos