Exclusivo: Rodolpho Schneider revela planos da Band no jornalismo

Rodolpho Schneider
Rodolpho Schneider é diretor de jornalismo da Band (Imagem: Reprodução / Instagram)

No comando do jornalismo da Band como diretor-executivo, Rodolpho Schneider conversou com o RD1 com exclusividade sobre as novidades que a emissora promoveu nas últimas semanas. Além da estreia do 1º Jornal, com João Paulo Vergueiro, às 3h45, o canal do Morumbi trocou o horário do Bora SP (6h) e lançou o Bora Brasil (8h), ambos comandados pela dupla Joel Datena e Laura Ferreira.

“Temos uma grade com muito jornalismo que é o DNA que a Band tem. Com isso, não havia sentido de não acordarmos mais cedo se o hábito das pessoas mudou e se já existem concorrentes fazendo isso. Hoje, a Globo e o SBT entram ao vivo às 4h da manhã. Então, tínhamos um reposicionamento para fazer ali de grade começando às 3h45 e de começar um pouco antes, de acordo com o que conversamos com o Antonio Zimmerle [Diretor Artístico e de Programação] e demos o nome de 1º Jornal por sermos o primeiro telejornal a entrar ao vivo de manhã e também, por uma estratégia dele de grade“, revelou Rodolpho.

Ainda sobre a vontade de entrar ao vivo nas madrugadas, o diretor contou que a Band precisava reforçar a grade matinal com mais informação. “A gente precisava entrar mais cedo e dar uma reforçada nas manhãs da Band com jornalismo. Então, temos dois links no 1º Jornal, na rua, na redação atualizando notícias com a Laura Ferreira de meteorologia, o Neto falando de futebol, então, todo o 1º Jornal está diferente. Deixamos de fazer bancada como era o Café com Jornal, que era mais conversado com o [Luiz] Megale, Joana [Treptow] e com o Mauro [Soares]. Agora, temos um púlpito com o João Paulo Vergueiro que vem de uma excelente experiência do Aqui na Band e teve outras experiências anteriores conosco aqui na emissora, além de RedeTV!. É um profissional que está na casa, pronto e com um enorme pique e a pegada que precisamos para o projeto. O JP tem o perfil que, analisando, assemelha-se com o do Joel Datena. Também pensamos um pouco nisso para conversarmos com isso, pra não parecer uma televisão que é distinta e que não conversa quando passa um a bola pro outro“, destacou Schneider.

A gente não pretende ficar se estendendo muito com longos comentários, falando e dissertando sobre o assunto. Queremos com a praça, informações ao vivo, com coisas mais curtas para que consigamos fazer resumos e fatos e a cada 25 ou 30 minutos fazer um giro de notícias nacional e internacional com os nossos correspondentes”, pontuou.

[A ideia] é passar por um cardápio entre o nacional e internacional, o esporte e a política, a meteorologia eventualmente informações da família real inglesa, mas sem transformar num debate de 5 minutos com assuntos triviais“, disse Rodolpho Schneider.

Band Notícias

Sobre o Band Notícias, Rodolpho Schneider destacou o sucesso que o informativo vem tendo frente à concorrência. “Maravilhosamente bem. A gente sabia que era um grande desafio depois de um religioso, mas sabíamos que o papel dele era esse. Ele tem dado bons índices de audiência, mas quando você analisa um número duro e frio, você acaba vendo algo engessado, mas pega o minuto a minuto. Há programas que fazem médias de 7 pontos, mas pegou com 15 pontos de um programa anterior. Isso é um produto nocivo para a grade. Quando você pega um programa com 0,2 ponto que está há 5 ou 6 meses no ar e tem muito para evoluir, fidelizar e conquistar um público, mas ele entrega com 2 pontos, mas é um telejornal que tem os apresentadores entrosados e que faz um belo resumo das notícias do Brasil. O Band Notícias traz informações que são internacionais e nacionais com uma pincelada de tudo o que aconteceu no dia de forma dinâmica, com bom enquadramento, vai a Brasília e faz um giro com todo o que é necessário. É um desafio, mas sei que o que a gente já conquistou e sei que vamos conquistar mais ainda”, avaliou Rodolpho.

Sobre as conversas da Band com as praças e afiliadas, o diretor de jornalismo disse que há planos para abastecer os telejornais com mais notícias regionais. Schneider ainda fez uma avaliação do Bora SP na cobertura da tragédia acontecida em Santos, região litorânea de São Paulo, com Joel Datena indo in loco conferir os fatos ao vivo.

“A ideia [de enviar Joel Datena para Santos] foi da Luciana Barcelos, que é a chefe da redação da manhã e eu sempre digo para todos terem ideias e pensarmos juntos. Quando houve a possibilidade, botamos em prática e enviamos o Joel para Santos. E foi um golaço. A aprovação interna e externa foi maravilhosa. Repercussão foi muito boa e, pelo que me disseram, à tarde a Record foi para lá também apresentar. É óbvio que isso tinha que acontecer e vai acontecer cada vez mais. Onde tiver um problema e houver a necessidade, a gente estará lá”, ressaltou.

Rodolpho Schneider ainda contou que a ideia da Band é fazer o Bora Brasil de cada canto do país uma vez por mês. “O Douglas Santucci  que era nosso diretor de jornalismo de Curitiba e que veio pra redação como chefia de produção de jornalismo nacional, está em coordenação com a rede e com a produção para justamente fazer essa integração melhor na redação e cada vez mais reforçar as praças. A gente precisa reforçar as praças e ir analisar, dar apoio e subsídios para eles. Tudo o que o Douglas Santucci fizer aqui é para reforçar as praças, trazer material deles e apoiá-los ao invés de ficar só demandando e pedindo”, contou.

Reuber Diirr
Reuber Diirr é formado em jornalismo pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Com passagens pela Record News ES e TV Gazeta (Globo/ES), acompanha as coletivas de imprensa com matérias exclusivas. Além disso, produz conteúdo multimídia para o Instagram, Twitter, Facebook e Youtube do RD1. Acompanhe os eventos com famosos clique aqui!
Veja mais ›