Família de Jorge Fernando homenageia o diretor com a estreia do espetáculo O Menino do Olho Azul

Jorge Fernando
Xande Valois protagoniza espetáculo em homenagem a Jorge Fernando (Imagem: Divulgação)

Quase três anos após a morte de Jorge Fernando, o diretor ganha uma super homenagem. Estreou no último fim de semana, no Rio de Janeiro, o espetáculo infantil O Menino do Olho Azul.

A produção conta a história de um menino da Zona Norte do Rio que tem o sonho de ser artista e recebe o convite para se apresentar no Grande Circo Boom, um festival que reúne os maiores artistas dos quatro cantos do mundo, e será realizado na Ilha Mágica de Paquetá, local onde Jorge tinha uma casa e gostava de se refugiar. O ator Xande Valois dá vida ao personagem principal.

O espetáculo é idealizado e produzido pela irmã do diretor, Maria Rebello. Na direção, estreando a sobrinha de Jorginho, Maria Carol Rebello que também assina a concepção da peça. No elenco, mais um membro da família, a sobrinha neta Manoa Rebello que interpreta a irmã Maria, que sempre trabalhou junto ao Jorge e produziu todos os seus espetáculos. O texto é de Lucas Domso.

Veja Também

“Esse espetáculo é um processo de cura e do entendimento do nosso luto. Fazer infantil era uma vontade do Jorge, com a nossa produtora e a minha mãe. No processo de homenagens, além da webserie que a gente fez, que está na página do Instagram, a gente ficou com essa vontade de voltar para os palcos , de fazer teatro”, diz a sobrinha.

O diretor deixou uma peça em aberto, Kabum, que tinha texto de Lucas Domso também. “A gente juntou essa buraco que ficou, a vontade de montar o Kabum, com a vontade que já tínhamos de fazer um infantil, e nasceu essa história linda”.

Maria Carol conta, ainda, que aprendeu muito de seu ofício observando o tio e que está dirigindo esse espetáculo tem sido muito emocionante e forte para ela.

“Ali está tudo o que o Jorge fazia, falava. Além da arte, do talento, temos ali coisas originais que ele usava, de cenário. O mais importante é a mensagem de vida que o Jorge sempre passou. De não perder tempo com coisa que não importa, de não desistir dos nossos sonhos, acordar todos os dias e ir em busca deles. Por isso esse espetáculo é tão importante, não só pra manter a memória artística e o talento dele vivos, mas também pra essa mensagem seguir passando, tocando o coração de cada criança. Estou muito feliz, muito realizada. E está aí, pra ele, pra vovó Hilda, pro Pepê, um amigo muito querido que sempre ajudou o Jorge a montar no teatro as loucuras dele”, disse Carol.

A peça está em cartaz no Teatro dos Quatro, na Gávea (RJ).

De volta

Depois de dez anos longe das novelas, Paula Braun estará em Cara e Coragem vivendo a ex-bailarina Olívia. “Depois de tudo o que a nossa classe sofreu nesses anos de Pandemia, receber o convite para o teste da novela foi como um clarão que se abriu pra mim. Uma oportunidade. Estou muito feliz em voltar a atuar”, diz a atriz, casada com Mateus Solano.

A personagem é uma mulher forte, alegre, que vive paixões e é feliz na sua maturidade, mas tem um ponto fraco, que é a relação com Joca (Leopoldo Pacheco), seu amante e pai de sua filha. “Acho que essa trama vai levantar debates interessantes”, acrescenta.

Pureza

A partir desta quinta, Dira Paes também poderá ser vista nas telonas, com a estreia do longa “Pureza”, dirigido por Renato Barbieri e produzido por Marcus Ligocki Jr.

Vencedor de 28 prêmios nacionais e internacionais, o filme é inspirado na história real de Dona Pureza, uma mãe brasileira que, durante três anos, desafiou todos os perigos para encontrar seu filho e se tornou um símbolo do combate ao trabalho escravo contemporâneo.

Sua trajetória de luta foi reconhecida internacionalmente e, assim, em 1997, recebeu em Londres o Prêmio Antiescravidão oferecido pela organização não-governamental britânica Anti-Slavery International, a mais antiga organização abolicionista em atividade.

Cangaceira

Lola Fanucchi
Lola Fanucchi em novo trabalho (Imagem: Divulgação)

A atriz Lola Fanucchi, que viveu Muna na novela Órfãos da Terra (Globo), está em curtíssima temporada no Nordeste com a peça “As Cangaceiras, guerreiras do sertão”.

A peça foi vencedora, entre tantos prêmios, do APCA de Melhor Dramaturgia, e Lola interpreta a adorável Mocinha que se une a um bando de fortes mulheres fugindo da opressão dos homens no Cangaço.

Entre uma apresentação em outra, a atriz volta a São Paulo para ensaiar um novo musical que tem estreia prevista pra junho.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Fernanda Menezes Côrtes
Fernanda Menezes Côrtes é jornalista, com mais de 20 anos de experiência em assessoria de comunicação, sendo os últimos onze anos voltados ao mundo do entretenimento e da televisão. Trabalhou na comunicação da Globo e do Canal Viva e como assessora de artistas.
Veja mais ›