Felipe Andreoli
Felipe Andreoli acredita que a melhor arma é a educação (Imagem: Divulgação)

Nesta quarta-feira (13), após o ataque na escola Raul Brasil, em Suzano (SP), Felipe Andreoli resolveu fazer um desabafo no Instagram. Além de falar sobre o episódio, o jornalista ainda opinou sobre o porte de armas.

Fiquei aqui pensando duas vezes sobre o que falar sobre o massacre de jovens na escola de Suzano. Primeiro, o choque de perceber que ‘essas coisas que a gente só vê nos Estados Unidos’ estão acontecendo aqui. E cada vez com mais frequência. Depois, quando li a repercussão das notícias e das redes sociais, veio o outro choque. O da agressividade. Pessoas desejando a morte de outros cidadãos porque eles são CONTRA AS ARMAS? Tem gente que quer a morte das pessoas por opiniões diferentes?“, escreveu.

Eu acho surreal acreditar que com mais armas vai melhorar. Como assim? Professor com arma na cintura? O tio da merenda? O tio da van? Todo mundo armado vai ser um mundo, um país melhor? Pra mim isso é papo de maluco. Mas É A MINHA OPINIÃO. E fim. Só quero respeito. Como todo mundo merece. Pra mim a melhor ARMA é a Educação.
Pode ver, os países mais seguros do mundo, a arma é a EDUCAÇÃO, e infelizmente, nesse quesito estamos quase desarmados. E ‘des-amados’“, afirmou Felipe.

Parece que os brasileiros estão se odiando e se afogando junto nesse rancor. Esse pensamento simplório, pobre, achando que esquerda é contra arma e direta é a favor é ridículo. Não quero saber se você tá de um lado ou do outro, eu sou a favor do desarmamento e da educação. Vamos se ligar, galera. O Brasil precisa se unir, precisa de paz, medidas coerentes. Tudo que não ta acontecendo agora.
Minhas orações e sentimentos pra todas as famílias afetadas nessa triste – e mais uma – tragédia“, concluiu.

Nos comentários, muitos seguidores concordaram com o posicionamento do repórter. “Só a educação vai resolver“, disse uma internauta. “Falou tudo“, afirmou mais uma. “Belíssimo comentário. Mais amor por favor. Educação sim, arma não“, escreveu uma terceira.

View this post on Instagram

Fiquei aqui pensando duas vezes sobre o que falar sobre o massacre de jovens na escola de Suzano. Primeiro, o choque de perceber que "essas coisas que a gente só vê nos Estados Unidos " estão acontecendo aqui. E cada vez com mais frequência. Depois, quando li a repercussão das notícias e das redes sociais, veio o outro choque. O da agressividade. Pessoas desejando a morte de outros cidadãos porque eles são CONTRA AS ARMAS? Tem gente que quer a morte das pessoas por opiniões diferentes? Eu acho surreal acreditar que com mais armas vai melhorar. Como assim? Professor com arma na cintura? O tio da merenda? O tio da van? Todo mundo armado vai ser um mundo, um país melhor? Pra mim isso é papo de maluco. Mas É A MINHA OPINIÃO. E fim. So quero respeito. Como todo mundo merece. Pra mim a melhor ARMA é a Educação. Pode ver, os países mais seguros do mundo, a arma é a EDUCAÇÃO, e infelizmente, nesse quesito estamos quase desarmados. E "des-amados" Parece que os brasileiros estão se odiando e se afogando junto nesse rancor. Esse pensamento simplório, pobre, achando que esquerda é contra arma e direta é a favor é ridículo. Nao quero saber se voce tá de um lado ou do outro, eu sou a favor do desarmamento e da educação. Vamos se ligar, galera. O Brasil precisa se unir, precisa de paz, medidas coerentes. Tudo que não ta acontecendo agora. Minhas orações e sentimentos pra todas as familias afetadas nessa triste – e mais uma – tragédia.

A post shared by andreolifelipe (@andreolifelipe) on

Encontro de Danilo Gentili e Fábio Porchat dá liderança ao “The Noite”

Após o especial de cinco anos, na segunda-feira (11), o “The Noite” exibiu ontem (12), a primeira entrevista de sua nova temporada. Para abrir a leva de episódios 2019, Danilo Gentili recebeu Fábio Porchat, que, até dezembro, concorria com o talk-show do SBT, através da Record. O canal de Gentili, que chegou à liderança de audiência, também pontuou bem com o “Primeiro Impacto”, pela manhã, e atrações do horário nobre.

No ar entre 1h05 e 2h08, o “The Noite” marcou 5,3 pontos, com 7 de pico e 23,6% de participação no número de televisores ligados (share), assegurando o primeiro lugar; a Globo, em segundo, ficou com 5,1 de média. Mais tarde, das 2h32 às 3h08, o “Operação Mesquita”, de volta à grade diária, atingiu 3,4 pontos, 4 de pico e 22,8% de share – segundo lugar, bem à frente do 0,6 ponto da Record.

A principal concorrente do SBT também ficou em terceiro no confronto com o “Primeiro Impacto”: entre 6h e 10h30, 5,1 pontos, com 6 de pico e 18,5% de share para o jornalístico de Dudu Camargo e Marcão do Povo x 4,5 do “Balanço Geral Manhã”, do “SP no Ar”, do “Fala Brasil” e do “Hoje em Dia”.

À noite, “As Aventuras de Poliana” emplacou 12,1 pontos, com 14 de pico e 16,6% de share, das 20h50 às 21h38, contra 11,2 de “Jesus”, na Record. Logo após, a reprise de “Cúmplices de um Resgate” (2015) bateu 11,2 pontos, com 13 de pico e 15,5% de share; entre 21h38 e 22h06, 9,7 para a principal concorrente. Já o “Programa do Ratinho” anotou 9,1 pontos, com 11 de pico e 14,7% de share, das 22h32 às 23h33, versus 7,9 da Record.

Recomendados para Você:

COMENTÁRIOS - Interaja Você Também! ⬇

Os comentários aqui não refletem a opinião do site e seus autores. Está opção de comentário NÃO publica automaticamente nada em seu Facebook, fique tranquilo!