Felipe Neto exige CPI por espionagem de Bolsonaro contra jornalistas e personalidades

Felipe Neto
Felipe Neto pede investigação após espionagem de Bolsonaro (Imagem: Reprodução – Globo / Montagem – RD1)

Felipe Neto foi um dos integrantes da lista de detratores no relatório feito pelo governo federal sobre jornalistas e personalidades críticas ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Exposto nesta semana, o relatório causou polêmica, repudio e a manifestação de milhares de pessoas.

No Twitter, o youtuber afirmou que “ter lista de inimigos é coisa de ditador fascista”, e completou com uma exigência ao Congresso Nacional: “Nós queremos que seja instaurada a CPI dos Detratores para investigar o gasto de R$2,7 milhões para monitorar jornalistas e influenciadores. Esse dinheiro é do povo e queremos satisfação!”.

A pressão fez efeito. A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) coletou assinaturas na última quarta-feira (2), com o objetivo de instalar uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a criação da lista de espionagem. A informação é do jornalista Rubens Valente, do UOL.

Entre os 50 “detratores” de Bolsonaro estão: Vera Magalhães, apresentadora do Roda Viva, na TV Cultura, Rachel Sheherazade, ex-SBT, o próprio Felipe Neto, youtuber, e Guga Chacra, comentarista da GloboNews.

Cristiana LôboOctavio Guedes e Marcelo Lins, todos do canal de notícias da Globo, apareceram na lista “neutro informativo”. Rodrigo Constantino, da RedeTV!, e Milton Neves, da Band, apareceram entre os “favoráveis”.

Confira:

Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.
Veja mais ›