“Festival Mazzaropi” eleva audiência da TV Aparecida

Festival Mazzaropi
“Festival Mazzaropi”, da TV Aparecida, chegou ao quarto lugar de audiência com “O Noivo da Girafa” (Imagem: Reprodução / TV Aparecida)

A TV Aparecida descobriu nos filmes de Amácio Mazzaropi (1912-1981) uma fonte inesgotável de audiência. A nova edição do “Festival Mazzaropi”, em cartaz nas faixas “Cine Família” e “Super Quarta” tem levado o canal à quarta colocação no ranking das emissoras de TV aberta, atrás apenas da Globo, do SBT e da Record.

Foi o que aconteceu neste último domingo (13), com o filme “O Fuzileiro do Amor” (1956). No ar das 12h30 às 14h15, o longa-metragem obteve 0,43 ponto, com 0,59 de pico, 1,01% de participação no número de televisores ligados (share) e 1,43 de alcance. Na Grande São Paulo, o “Festival Mazzaropi” consolidou o 5º lugar, com 108.410 mil telespectadores – chegando ao 4º entre 12h36 e 12h38.

Na semana anterior (6), o desempenho foi ainda melhor. Das 12h28 às 13h02, “O Noivo da Girafa” (1957) conquistou o quarto lugar no ranking de audiência, com 0,44 ponto. Na média-geral, das 12h28 às 14h02, o filme ocupou a sexta posição, com 0,53 ponto, 0,72 de pico, 1,22 de share e 1,48 de alcance, numa “plateia” de 133.870 mil indivíduos, na Grande São Paulo.

O “Festival Mazzaropi” segue até o próximo dia 30, sempre às 12h30 de domingo e às 20h de quarta-feira. A faixa contará com o inédito “Chico Fumaça” (dia 20 e dia 23) e a reprise de “Tapete Vermelho” (dia 27 e dia 30), longa-metragem de Luiz Alberto Pereira, onde Matheus Nachtergaele vive um fã de Mazzaropi.

A vingança de Bolsonaro! Projeto de lei deve minar verba da Globo

A situação da Globo no governo de Jair Bolsonaro, ao que tudo indica, começará a ficar complicada em breve. Totalmente contrário ao canal e aos outros veículos pertencentes ao conglomerado de mídia, o presidente já teria por onde começar a minar o império criado por Roberto Marinho.

Segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, há em Brasília um projeto pronto e que proíbe um instrumento de negociação comercial que, ao que tudo indica, vai prejudicar o domínio da emissora no mercado publicitário no país.

A Bonificação por Volume, ou BV, como é conhecida, foi criada em 1960 e consiste em estimular o mercado publicitário da seguinte forma: um anunciante contrata uma agência de publicidade para a promoção de um produto, e os veículos pagam uma comissão às agências – o BV – para que elas os definam como destinatários da verba. No mercado, entende-se que isso mantém o domínio da Globo no bolo publicitário.

CONTINUE LENDO →

Duh Secco é “telemaníaco” desde criancinha. Em 2014, criou o blog “Vivo no Viva”, repercutindo novelas e demais atrações do Canal Viva. Foi contratado pela Globosat no ano seguinte. Integra o time do RD1 desde 2016, nas funções de repórter e colunista. Também está nas redes sociais e no YouTube (@DuhSecco), sempre reverenciando a história da TV e comentando as produções atuais.