Funcionários da RedeTV! decidem entrar em greve por tempo indeterminado

Sikêra Jr
Sikêra Jr e Marcelo de Carvalho, um dos donos da RedeTV!; profissionais da emissora decidem entrar em greve (Imagem: Reprodução / RedeTV!)

Os jornalistas da RedeTV! entraram em greve por tempo indeterminado a partir de 0h desta terça-feira (31). A atitude foi definida em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Radiodifusão e Televisão no Estado de São Paulo.

Segundo a associação, os profissionais estão insatisfeitos com os baixos salários oferecidos pela empresa. “Os Radialistas da RedeTV! amargam salários sem reajustes há mais de quatro anos, inclusive em cláusulas econômicas contidas na Convenção Coletiva da Categoria. Sem interesse da direção da RedeTV! em negociar, só restou os trabalhadores decretarem greve. As perdas salariais dos trabalhadores são de 18,72%, se considerar o retroativo chega a 354%”, alegou a instituição em nota divulgada.

O Sertesp ainda destacou: “A emissora paga o pior salário  do mercado aqui em São Paulo“. Uma proposta salarial chegou a ser oferecida. O canal sugeriu um aumento de 3,8% para todos os contratos, porém não foi acatada pelos profissionais.

Além dos sorteios de prêmios que ajudam a manter a receita da RedeTV!, a emissora fechou contratos milionários com a Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil, Petrobras, Ministério da Saúde, Ministério da Educação, governo do estado de São Paulo e outras importantes instituições públicas”, disse o Sindicato em comunicado feito na assembleia, afirmando que a RedeTV! tem dinheiro para melhorar o pagamento dos funcionários.

“Ela também recebeu investimentos milionários do Bradesco, Itaú, Facebook, Ultrafarma, Vivo, Casas Bahia, Sky Pré-Pago, Bigtrail e Cartão de Todos. Tem ainda os merchandisings e os horários vendidos a igrejas neopentecostais“, concluiu.

Atualmente, a empresa de Amilcare Dallevo e Marcelo de Carvalho paga um salário base de R$ 1.612,88 para seus jornalistas de funções básicas. O Sindicato afirma que os trabalhadores não recebem reajustes nas cláusulas econômicas desde 2017. Além disso, o vale-refeição não foi reajustado neste período.

Elson Barbosa
Jornalista, encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @ellsonbarbosa
Veja mais ›