Globo segura fila das 19h e ainda vive gestão de Silvio de Abreu

Silvio de Abreu
Silvio de Abreu deixa trabalhos na Globo mesmo como diretor da HBO Max (Imagem: João Cotta / Globo)

A Globo não mexeu na ordem das novelas das sete mesmo com a chegada de José Luiz Villamarim no comando do departamento da dramaturgia. Silvio de Abreu, que assinou com a HBO Max, mesmo fora da TV deixou sua mão atrelada ao futuro da empresa.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade

O canal líder de audiência definiu Cara e Coragem, de Claudia Souto, para depois de Quanto Mais Vida, Melhor!. Depois, Tente Outra Vez, de Rosane Svartman, e Fuzuê, de Gustavo Reiz. A informação é do jornalista Flávio Ricco, do R7.

Todas as novelas citadas foram autorizadas pela equipe de Silvio de Abreu, que deixou a emissora no ano passado, em meio ao período de reestruturação da Globo.

publicidade

Veja Também

Silvio de Abreu fala tudo fora do Plim Plim

Algumas semanas depois da sua saída da Globo, Silvio de Abreu abriu o jogo sobre algumas questões que dominaram a sua gestão, entre elas a onda de demissões que afetou os artistas, técnicos e até diretores.

“Isso foi uma resolução que surgiu quando a Globo fundiu as várias empresas do grupo e resolveu enxugar seus quadros”, disse em entrevista à Veja.

“Eu fui totalmente contra. Todas as vezes que alguém era dispensado, eu ia ao RH para discutir”, contou. A resposta do RH da Globo era sempre a mesma: “Eles falavam que, se eu precisasse daquele ator, poderia recontratá-lo para um trabalho específico”.

Sobre novelas, Abreu criticou: “É horrível, pois qualquer imbecil que fale qualquer coisa alcança repercussão em cima dos outros. Você faz uma novela e gasta um tempão tendo de dar satisfações. A polarização é uma coisa muito acéfala, né?”.

publicidade

“Você é obrigado a ser branco ou preto, não pode ser cinza, amarelo, vermelho. Tem de ser ou um ou outro. E se fala algo que parece ofender alguém, aí já era”, desabafou.

Como exemplo, ele deu Nos Tempos do Imperador. “Quando estreou Nos Tempos do Imperador, teve um discurso do Dom Pedro II dizendo que no Brasil não haveria ditadores. Aí vieram falar que a Globo fez isso para atacar o Bolsonaro. Não tinha nada a ver. Mas cada um interpreta como quer”, esclareceu.

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

publicidade
Da RedaçãoDa Redação
A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.