Record
Jornalista da Record se pronunciou após declaração na web (Imagem: Reprodução / Instagram)

O jornalista Clébio Cavagnolle, da Record, fez uma declaração em sua conta no Facebook sobre a entrevista exclusiva concedida pelo ministro da Justiça, Sergio Moro, para o “Jornal da Record”. Nela, o repórter respondeu a um amigo, que pediu que ele fizesse “as perguntas certas”.

O site RD1 publicou a matéria “Jornalista da Record diz que não fez as perguntas que gostaria a Sergio Moro” e, na íntegra, apresentou a resposta do jornalista: “Gostaria… Mas, não pude!”. O comentário foi apagado minutos depois.

Na tarde deste sábado (24), Clébio Cavagnolle se manifestou sobre o ocorrido. Ele afirmou que não fez nenhum desabafo e enfatizou que não houve censura por parte da emissora.

“Eu simplesmente brinquei com um amigo que não pude [fazer] muitas perguntas por falta de tempo”, garantiu. “Não houve ingerência nenhuma da Record, muito menos do ministro, que respondeu a tudo que eu perguntei”, esclareceu.

O canal paulista é uma das principais aliadas e defensoras do presidente Jair Bolsonaro. A proteção inclui todos os seus ministros, entre eles um dos mais próximos do presidente que é o ex-juiz Sergio Moro.

Globo e Band são acusadas de exibir imagens da Record sem autorização

A Globo está sendo acusada pela Record de usar imagens exclusivas da ação policial no caso do sequestrador na ponte Rio-Niterói sem autorização.

A emissora carioca deu os créditos à captação do câmera Fábio Calistra, que foi o único a gravar o sequestrador sendo morto pela polícia, porém, de forma não autorizada.

O profissional da emissora paulista foi o único que registrou a ação da polícia e os reféns sendo liberados do ônibus sem ferimentos.

A GloboNews e a Band exibiram os vídeos com efeito zoom para esconder a marca da Record nas imagens.

Na Globo, o crédito foi dado, porém, de acordo com o colunista Ricardo Feltrin, o canal carioca não havia recebido autorização para isso.

🔵Boletim RD1 💥 Notícias dos Famosos