Justiça nega pedido de igreja contra o Porta dos Fundos

Netflix
Fábio Porchat (Orlando) e Gregório Duvivier (Jesus) no especial de Natal do Porta dos Fundos, A Primeira Tentação de Cristo (Imagem: Reprodução / Netflix)

A Justiça decidiu negar o pedido feito pela Igreja Pentecostal Brasa Viva contra a produtora Porta dos Fundos e a Netflix. O grupo religioso foi ao TJ do Rio de Janeiro e pediu R$ 1 bilhão de danos morais.

Ação foi movida em função da exibição do especial lançado no final do ano passado, onde Cristo é apresentado como homossexual.

A igreja, então, alegou que o filme viola a liberdade religiosa. No entanto, a juíza Nathalia Magluta, da 5ª Vara Cível do Rio, rejeitou o pedido e citou o direito à liberdade de expressão, segundo informou o colunista Ancelmo Gois.

Em janeiro, cabe lembrar, a Netflix acionou o STF contra a decisão do desembargador Benedicto Abicair, alegando que ela desrespeitou julgamentos anteriores do tribunal ao impor “restrições inconstitucionais à liberdade de expressão, de criação e de desenvolvimento artístico”.

No mês anterior, a sede da Porta dos Fundos se tornou alvo de um ataque terrorista com coquetéis molotov promovido por militantes de extrema-direita.

Acusado de participar do atentado, Eduardo Fauzi Richard Cerquise foi expulso do PSL carioca. De acordo com o site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ele era filiado à sigla desde 2001.

A Redação do RD1 é composta por especialistas quando o assunto é audiência da TV, novelas, famosos e notícias da TV.  Conta com jornalistas que são referência há mais de 10 anos na repercussão de assuntos televisivos, referenciados e reconhecidos por famosos, profissionais da área e pelo público. Apura e publica diariamente dezenas de notícias consumidas por milhões de pessoas semanalmente. Conheça a equipe.

WordPress Lightbox