Leda Nagle recorda demissão traumática e fala sobre suposto apoio a Bolsonaro

Leda Nagle
Leda Nagle fala sobre possível retorno à TV (Imagem: Reprodução / Instagram)

No auge dos seus 69 anos, Leda Nagle falou abertamente sobre a boa fase como youtuber e lembrou a situação dramática que enfrentou após o anúncio surpresa da sua demissão da TV Brasil, em 2016. Na época, ela comandava o Sem Censura, um dos programas mais antigos da TV.

“Hoje sou uma mulher da internet, sou uma geriatuber”, brincou a jornalista em conversa com o humorista Gustavo Mendes. Sobre uma possível volta ao programa, ela descartou. “Já foi. Foi prazeroso, delicioso e adorei fazer. Mas foi, sabe? É outra coisa”, disse.

“Sabe quando uma coisa fica? É muito legal, mas fica lá guardadinha naquele lugar do meu coração. Não tenho nenhum problema com isso”, comentou.

A saída da emissora administrada pela EBC (Empresa Brasil de Comunicação) surpreendeu, pois a direção do canal prometeu a renovação do contrato, mas a alta cúpula mudou de ideia de uma hora para outra. “Fiquei perplexa com a falta de caráter”, desabafou na época por meio de uma carta aberta. Ao todo, a sogra de Sabrina Sato esteve 21 anos no comando do talk show.

Leda falou sobre sua carreira de sucesso na TV, com passagens pela Manchete, SBT e Globo. “Fiz o Jornal Hoje por treze anos. Adorei fazer e foi ótimo. Ok. Aí fiz o Jornal da Manchete (1989-1993). Infelizmente, a Manchete acabou. Adorei trabalhar lá. Depois, fiz um programa no SBT. Durou pouquíssimo. Depois, fui para o Sem Censura”, recordou.

Um ano depois da saída da TV Brasil, a ideia de um canal no YouTube surgiu. “Descobri a liberdade na internet e estou muito feliz com isso”, disse. Filho da veterana, Duda Nagle apoiou a empreitada. “Ele me deu força, se não desse força eu nem viria. Porque eu nem sabia o que era YouTube naquela época, há três anos”, admitiu.

Questionada se era bolsominion, a famosa falou pela primeira vez sobre o assunto: “Não! Olha só… Toda hora me acusam disso. Deixa eu explicar como é: eu vou entrevistar todas as pessoas, de todas as ideologias. Com eu sempre fiz no Sem Censura. Eu nunca perguntei antes: ‘você vota em quem?’. Eu nunca me importei com isso. Só que agora é polarizado. Seu eu entrevisto alguém ligado ao Bolsonaro, eu sou bolsominion. Se eu entrevisto alguém de esquerda, eu sou esquerdista, comunista”.

Confira:

CONTINUE LENDO →

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter e escreve semanalmente para a coluna Você Sabia?. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.