Linn da Quebrada coloca silicone, exibe resultado na web e se emociona

Linn da Quebrada
Linn da Quebrada coloca silicone e mostra mudança (Imagem: Divulgação)

Aos 30 anos, a travesti Linn da Quebrada anunciou aos fãs que colocou silicone. A ativista das causas LGBTQIA+ desabafou através das redes sociais sobre o que motivou a aderir às próteses, já que, segundo ela, “nunca sentiu que havia nascido no corpo errado“.

Passei muito tempo me perguntando se queria ou não colocar meus peitos, se era ou não a hora, por diversas questões. Mas dentre elas, eu sempre fui muito apaixonada por mim e pelo meu corpo. Nunca entendi ou senti que havia nascido no corpo errado. Amo cada transformação, cada mudança, cada movimento, e justamente por isso eu sabia que continuaria me amando ainda mais“, começou.

Em seguida, Linn ressaltou que aderiu à cirurgia para olhar a si mesmo com um olhar diferente. “Eu sentia que precisava me deslocar. Transmutar. Criar um novo órgão em mim para desorganizar um pouco mais o mundo lá fora. Para gerar outras dúvidas. Para que tivessem menos certeza. Mas principalmente para que eu me olhasse, mais uma vez, como se não me conhecesse. Para que eu fosse outra. Transtornar-me. De novo. Mudar para ainda assim permanecer a mesma, só que diferente“, afirmou.

A cantora relata que chorou ao “se sentir livre” com a decisão. “Lembro do primeiro dia que com um camisetão, sem revelar muito, mas entregue na sombra e na silhueta, percebi que minha postura estava mudando. Senti um peso no plexo solar se aliviando. Senti que podia baixar a guarda. Senti que não precisava provar nada a ninguém. Chorei, assim como choro agora. Como há muito tempo não chorava. Choro que lava. Eu chorei porque me senti livre“, contou.

Por fim, ela destacou que se sente livre: “Me sinto livre pra não ser nem homem nem mulher. Eu posso ser eu. Quem quiser ainda assim me chamar no masculino, que o faça, o peito não garante nada, mas eu sei quem eu sou. Eu sou ela. Eu sou travesti. Eu amo ser travesti. Eu crio sobre minha própria existência. Eu mato e morro para continuar viva. Os cortes embaixo do meu peito denunciam. Eu matei o Junior. E tudo que eu posso dizer pra vocês é que é muito chique ser eu“.

Confira:

Elson BarbosaElson Barbosa
Jornalista, especialista em Comunicação Organizacional, apaixonado por café, crônicas e um bom papo. Encantado pelo entretenimento e pela possibilidade de contar e conhecer várias histórias ao mesmo tempo.
Veja mais ›