Lula cutuca Bonner sobre aposentadoria do JN, cita Flamengo, ataca Bolsonaro e web reage

Lula
Ex-presidente Lula, do PT, é entrevistado por William Bonner e Renata Vasconcellos em sabatina do Jornal Nacional (Imagem: Reprodução – Globo / Montagem – RD1)

Entrevistado da noite na sabatina dentro do Jornal Nacional, o ex-presidente Lula (PT) conversou durante 40 minutos com William Bonner e Renata Vasconcellos. O político atacou o presidente Jair Bolsonaro (PL), cutucou Bonner sobre aposentadoria do JN e citou até o Flamengo.

No meio da entrevista, ao ser questionado mais de uma vez sobre o governo da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), o presidenciável brincou com o âncora do Jornal Nacional sobre uma possível aposentadoria da bancada.

“Se um dia alguém entrar no teu lugar no JN, você vai perceber o que é rei morto, rei posto”, alfinetou o líder do PT. “Um dia entrará”, prometeu William Bonner.

Em sua fala, o rival de Bolsonaro, caso eleito, garantiu presença mensal no principal telejornal do país. “Uma vez por mês, para poder checar o que a gente está fazendo nesse país”, afirmou.

Questionado sobre um possível atrito entre a militância do PT com a escola de Geraldo Alckmin ao cargo de vice-presidente, Lula fez graça:

“Eu estou até com ciúmes do Alckmin. Ele é habilidoso! Ele é esperto! Ele foi aplaudido de pé! O Alckmin já foi aceito pelo PT de corpo e alma. O Alckmin vai me ajudar!”.

Em frente aos entrevistadores, Lula se virou para a câmera e causou: “O povo tem que voltar a comer um churrasquinho, tomar uma cerveja, comer uma picanha”.

Lula cita Flamengo ao falar sobre polarização

Na reta final da entrevista, Lula disse que “feliz era o país quando a polarização era entre PT e PSDB”. O ex-Chefe do Executivo admitiu que “a gente era adversário político, trocava farpas, mas a gente não se tratava como inimigo”.

Em seu pensamento, o líder da esquerda comparou a militância com “torcida organizada” e lembrou de São Paulo x Flamengo, jogo válido pela Copa do Brasil e exibido pela Globo na última quarta-feira (24).

O líder das pesquisas lembrou de um momento de Rafinha, atualmente no São Paulo, mas ex-Flamengo, e um adversário do time carioca.

“O Rafinha que jogava no Flamengo, ontem ele engrossou lá no jogo com o Flamengo, e ele e o outro do Flamengo se abraçaram, porque em política é assim. Política é exatamente assim, você tem divergência, você briga, você diverge, você tem divergência programática, mas você não é inimigo”, explicou.

Confira a repercussão na web:

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui
Paulo CarvalhoPaulo Carvalho
Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email [email protected].