No Altas Horas, Padre Fábio de Melo descreve relação com o pai

Padre Fábio de Melo
Padre Fábio de Melo descreveu relação com o pai em entrevista para o Altas Horas (Imagem: Reprodução / Globoplay)

O Padre Fábio de Melo exerce fielmente sua carreira religiosa, mas adentrou à carreira artística como cantor e por isso sua vida pessoal acaba atraindo a curiosidade alheia. Em entrevista a Serginho Groisman, no Altas Horas, falou sobre sua relação com a paternidade em geral.

Neste sábado (8), o religioso deu o seu parecer do que é ser pai par ele: “Eu acho que o desdobramento de um pai, na vida do filho, é transformar essa relação numa grande amizade. Eu acho muito interessante perceber como grandes amores evoluem para uma grande amizade. Na minha compreensão, é o último estágio de todo amor“.

Mesmo não tendo uma parceira e já tendo afirmado que não pretende, Fábio se imaginou como pai: “Eu acredito que em determinado momento da vida eu não tenho nem direito de ser muito amiguinho do meu filho, eu preciso ser pai dele. Se eu cismar de ser muito amigo, eu posso desprotegê-lo, eu posso fazer que minha paternidade não seja exercida com todas as exigências que ela me pede“.

O padre é filho de Dorinato Bias Silva, que morreu em 1988, quando ele tinha 17 anos. Sobre o saudoso progenitor, o Padre Fábio de Melo rasgou elogios: “Eu experimentei um pai totalmente rígido no momento que precisava ser, amoroso também… Mas, ao final, quando restava pouco tempo para nós dois ficarmos juntos, eu percebi que eu já tinha me tornado amigo dele“.

É muito bom que quando na relação com o pai você descobre que conseguiu vencer o território das obrigações e desfrutou do território das escolhas“, finalizou o entrevistado, sendo aplaudido pela declaração. Wanessa Camargo, que estava virtualmente no programa, exaltou Fábio: “Tá vendo porque a gente ama esse moço?“.

MAIS LIDAS

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTI+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›