No Limite 2022: Vanderlei e Guza revelam seus desafetos e fazem acusações polêmicas

No Limite 2022
Vanderlei e Guza revelam seus desafetos em No Limite 2022 e fazem acusações polêmicas (Imagens: Reprodução – Globoplay / Montagem – RD1)

Vanderlei Ramiro e Guza Rezê, os eliminados da quinta semana de No Limite 2022, foram entrevistados por Ana Clara no programa A Eliminação deste domingo (5). Numa conversa bastante reveladora, a dupla apontou os seus maiores desafetos e fizeram acusações para lá de polêmicas.

Fique por dentro de tudo que rola em No Limite 2022 na cobertura do RD1

O excluído mais recente da Tribo Sol falou da questão de gênero, que vez ou outra viravam pautas no reality, e negou que rolava qualquer tipo de discriminação:

Veja Também

Eu vou falar que para mim esse é um discurso que nunca aconteceu na Tribo Sol. Essa questão de gênero nem deveria ser pauta lá dentro. A gente deveria competir com as nossas habilidades e tudo que a gente traz. Não é uma atitude que nenhum dos meninos tomou durante o programa”.

Continuando sua análise, Vanderlei acusou Ninha Santiago de levantar a bandeira e causar intriga com seu nome: “A Ninha traz esse discurso com muita força e vai influenciando as outras meninas, o pensamento delas, a maneira como elas estão enxergando os rapazes… E em algumas vezes, em relação a mim também”.

Eu e a Guza somos entendidos como jogadores fortes, que entregam [tudo] nas provas, que dão tudo de si… E acaba virando uma ameaça de quem não está entregando isso”, seguiu o paulista, creditando sua eliminação à seu bom desempenho nas provas do programa.

Por fim, Ramiro alfinetou alguns ex-companheiros de equipe: “Não tem amizade! Ali é um jogo! Tudo bem você gostar de uma pessoa ali e outra aqui, mas ali você está criando vínculos para formar alianças”.

No Limite 2022: Guza Rezê é taxativa ao falar da própria eliminação e detona Victor Hugo

Voltando à “guerra dos sexos”, a baiana pontuou que na Tribo Lua não aconteceu esse movimento e entendeu que a afinidade tem dominado tudo: “O pessoal foi saindo realmente por afinidade. Como havia e há uma divisão lá dentro, então as meninas estavam de um lado e fomos saindo por isso”.

Foi um jogo de afinidades. Foi como se eu tivesse comprado um bilhete para o filme errado. Achava que No Limite era só preparação física e performance de jogo. Eu não me preparei para a parte mental, para as estratégias de relacionamento”, continuou Guza, lamentando sua derrota no jogo.

A policial assumiu que sua dificuldade em formar alianças de uma forma mais ampla foi o que mais contribuiu para sua saída:

Eu não sou a pessoa que chama os outros de ‘amiga’ de cara, eu analiso muito as pessoas. De cara, eu não consegui conversar nos primeiros dias com o Victor, a Day e o Charles. E eu entrei com aquele discurso de ser fria, mas eu fui vendo que eu não sou isso, que eu não consigo ser assim”.

Quando foi questionada sobre quem gostaria de ver eliminado, Guza não poupou Victor: “Para mim e para muitas pessoas lá, ele é insuportável. O Victor Hugo começou o jogo no papel de frágil e foi mudando a partir do momento em que foi conseguindo montar as alianças dele”.

Ele ficou arrogante, prepotente. Ele tem a necessidade de pisar no outro, pra dizer que ele é bom. Ele causa instabilidade no grupo. É muito difícil a convivência com ele. Ele não tem empatia pelas pessoas”, finalizou a entrevistada, que perdeu a chance de ganhar o prêmio de R$ 500 mil.

Confira:

O que você achou? Siga @rd1oficial no Instagram para ver mais e deixar seu comentário clicando aqui

Matheus Henrique Menezes
Oficialmente redator desde 2017. Experiências como editor e social media. Já escrevi sobre famosos, TV, novelas, música, reality show, política e pauta LGBTQIA+. Vídeos complementares no YouTube, no canal Benzatheus.
Veja mais ›