No Senado, Kajuru causa risos com revelação sobre surra

Jorge Kajuru
Jorge Kajuru relembrou infância em votação no Senado (Imagem: Reprodução / TV Senado)

Jorge Kajuru (PSB/GO) falou abertamente sobre um episódio envolvendo ele, a mãe e o pai durante uma revelação familiar que terminou em uma grande surra. O senador pelo estado de Goiás defendia o voto aberto para a eleição para a Presidência do Senado quando o assunto veio à tona.

Em meio ao debate sobre o voto aberto ou secreto, Kajuru tomou a palavra após Randolfe Rodrigues (Rede/AP) e Lasier Martins (PDT/RS) apresentaram questões de ordem defendendo que o voto fosse aberto.

“O Brasil inteiro está nos vendo. O que o Brasil inteiro está esperando de nós? Que jamais aceitemos o voto secreto. É isto”, declarou. “Eu vejo que, essa Casa hoje, mostrar ao Brasil inteiro que vai votar para a Presidência do Senado de forma secreta, é dar um tapa na cara de toda a sociedade brasileira”.

Ele, então, relembrou o momento em que o pai apresentou a amante e ao mesmo tempo pediu segredo sobre o assunto. O apresentador tinha 11 anos. “Papai era um padeiro, Zezinho padeiro em Cajuru, próximo de Ribeirão Preto. Eu, filho único. Eu estava com o [jornalista José Luiz] Datena na pizzaria Bambino. De repente, chega o meu pai com uma mulher. E eu levei um susto. Papai veio na minha mesa: ‘meu filho, o que você está vendo aqui é secreto, tá?’. Eu falei: ‘Como assim, pai?’. ‘Essa aqui é minha amante, filho’”, relembrou.

Mais tarde, em meio ao jantar, Jorge dedurou o pai para a mãe: “Papai falou para mim que é secreto, que não podia falar para a senhora. A senhora está tomando bola nas costas, mamãe. Papai tem uma amante”.

Kajuru, então, resumiu: “Eu apanhei demais, o que meu pai me bateu foi uma loucura. Mas eu apanhei tão prazerosamente, porque eu contei para a minha mãe aquilo que meu pai falou que era secreto. Eu não abro mão de que o voto seja aberto”. A narração causou risos entre os presentes.

TRE obriga Jorge Kajuru a provar que é alfabetizado

Candidato ao Senado por Goiás, Jorge Kajuru (PRP) foi convocado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para provar que é alfabetizado. Segundo informações da revista Veja, a decisão do órgão se deu pelo fato de Kajuru – que não concluiu o ensino fundamental – ter deixado de apresentar comprovante de escolaridade no registro de candidatura.

Para dar prosseguimento ao pleito, Jorge Kajuru precisou assinar uma declaração afirmando ser alfabetizado; o documento foi feito com atraso, dois dias após o prazo de requerimento de registros de candidaturas expirar (em 17 de agosto).

Kajuru deixou o rádio em Goiânia para se tornar conhecido em todo o país, através da RedeTV!, em 2000. Três anos depois, após uma breve passagem pela Cultura, chegou à Band, de onde saiu em 2004 após constantes atritos – inclusive no “ao vivo” – com convidados e colegas de trabalho. Passou também por ESPN Brasil, SBT e Esporte Interativo.

PRÓXIMA MATÉRIA→

Paulo Carvalho acompanha o mundo da TV desde 2009. Radialista formado e jornalista por profissão, há cinco anos escreve para sites. Está no RD1 como repórter e escreve semanalmente para a coluna Você Sabia?. Pode ser encontrado nas redes sociais no @pcsilvaTV ou pelo email paullocarvalho19@gmail.com.

RECEBA NOTIFICAÇÕES GRÁTIS